P A T R O C I N A D O R E S

7ª Jornada: Galitos/DUNIK 41 – Ovarense B 83


Estamos mais perto mas ainda longe…
108-16, 104-19, 69-17 foram as diferenças que marcaram as nossas três derrotas com esta equipa da Ovarense, que encontrámos pela 4ª vez esta época. Como sentimos que temos evoluído encarámos o jogo com a expectativa de saber se conseguiríamos encurtar a distância e ter um melhor desempenho no ataque e na defesa.
Tivemos uma boa entrada no jogo com 4-2 que o adversário corrige após desconto de tempo subindo a defesa e construindo o parcial de 16-0, com a nossa equipa em desvantagem no aspecto físico e também na intensidade. Perdíamos 25-10 no final do 1º período.
O 2º período traz uma exibição sofrível da nossa parte, sem intensidade, energia, rendidos ao adversário, procurando desculpas para erros infantis, mas… pior que tudo não cumprimos no campo o estipulado para toda a equipa, quer durante a semana e recordado antes do jogo. 22-2 traduz o que se passou no campo, onde nos comportámos de uma forma triste.
Vindos do intervalo trouxemos mais energia, começámos a cumprir as indicações dadas no balneário e vindas do banco, mas o adversário estava mais confortável no jogo. 24-16 já é um parcial mais simpático e abriu portas para conseguirmos uma vitória no último período onde fomos mais activos, revelámos mais energia e estivemos melhor na defesa.
Este é o adversário que claramente permite a melhor análise à nossa evolução pois é uma equipa constituída unicamente por atletas da nossa idade. Assim, vemos a nossa evolução bem como analisamos a que distância estamos de quem se apresenta, neste momento, bem acima de nós.
Sobre o jogo não podemos deixar de falar acerca das nossas grandes dificuldades técnicas que nos impedem de diminuir as perdas de bola e jogar com mais intensidade. E dizer ainda que os simples exercícios de drible e passe que realizamos no treino têm objectivos, não são feitos no vazio e merecem o nosso “respeito” pois são eles que nos vão fazer melhorar estes aspectos, sem trabalho não haverá evolução, e sem direcção também não, pois nada aparece por acaso. Sem rigor e dedicação o nosso drible, passe e lançamento não irão melhorar, e só depois os aspectos tácticos poderão ser desenvolvidos.
Concluindo, estamos ainda longe… e estando longe temos de ser mais humildes e trabalhadores no dia-a-dia.
Luís Araújo
Parciais: 10-25; 02-22; 16-24; 13-12
Marcha: 10-25; 12-47; 28-71; 41-83

Galitos: Leonardo Matias (5), Rodrigo Leite, Rui Pereira (7), Alexandre Pereira (11), Henrique Rocha (5), Luís Patrício, João Lebre (6), Vasco Peralta (4), Luís Almeida (2), Afonso Pereira (2), Ricardo Rosado e António Matias.




3ª Jornada: Galitos B/Atrium 76 – GICA 62

Vitória difícil em exibição intermitente
Queríamos muito terminar a 1ª volta desta fase com uma vitória mas para isso acontecer sabíamos que teríamos de trabalhar muito, pois o jogo não seria fácil. E assim foi…
A nossa abordagem ao jogo não foi boa. Entrámos no jogo pouco agressivos, apáticos, com dificuldades em parar as penetrações do adversário e em domi-nar as tabelas.
Fomos melhorando ao longo do período criando alguns bons movimentos ofensivos, que nos permitiram chegar ao final do 1º período a ganhar por 18-10.
No 2º período tentámos reagir, melhorar defensivamente, mas nunca o conseguimos. Alternávamos entre bons momentos de basquetebol, com situa-ções de verdadeiro desnorte e fraca prestação.
Tentámos imprimir uma grande rotatividade dos jogadores, tendo sido utili-zados os 12 jogadores logo na 1ª parte, de modo a mantermos um ritmo de jogo elevado. A 1ª parte termina 39-25 a nosso favor.
Entrámos na 2ª parte muito desconcentrados, pouco pressionantes, lentos a reagir, permitindo à equipa do GICA ir ganhando confiança e pouco a pouco aproximar-se no marcador… até aos 47-43.
Revelámos uma atitude defensiva abaixo do que temos vindo a fazer e em termos ofensivos nunca conseguimos ser esclarecidos e eficazes na melhor altura. Procurámos resolver individualmente as dificuldades que o adversário nos colocou, não sendo obviamente bem sucedidos. O 3º período terminou com o resultado de 52-46.
O último e derradeiro período caracterizou-se por um equilíbrio muito grande, mas em que a nossa equipa conseguiu ser mais serena e gerir a liderança do marcador até final.
O resultado final foi de 76-62, uma exibição intermitente, uma vitória difícil, num jogo em que nunca conseguimos ser consistentes, nem em termos defensivos, nem ofensivos, nem como equipa.
Uma palavra de apreço para o adversário que lutou muito pela vitória desde o inicio ao fim do jogo, demonstrando uma atitude muito positiva e leal perante o jogo.
Estamos de parabéns somente pela vitória, porque em termos de exibição estivemos muito aquém do que já conseguimos fazer, temos capacidade para demonstrar outra qualidade de jogo e de trabalho de equipa, que não o fizemos hoje.
Temos de ser mais colectivos, mais agressivos, demonstrando uma maior atitude e empenho na abordagem ao jogo.
André Leitão
Parciais: 18-10; 21-15; 13-21; 24-16
Marcha: 18-10; 39-25; 52-46; 76-62

Galitos: Filipe Pereira, Alexandre Oliveira (16), Luís Folque (5), João Paulo Martins (18), João Azóia (7), Pedro Godinho (8), João Carlos Tavares (5), Miguel Ferreira (2), João Lamas (5), Miguel Carvalho, Pedro Melo (1) e Pedro Seabra (9).


Digno de admiração é aquele que, tendo tropeçado ao dar o primeiro passo, levanta-se e segue em frente.

Carlos Fox

3ª Jornada: Sanjoanense 76 - Galitos/ATRIUM 80


Terceiro período equilibrou a partida
O jogo começou muito equilibrado com as equipas a alternarem a liderança no marcador. Com defesas muito activas de ambas as equipas a anularam os pontos fortes dos adversários, chegámos muito perto do final deste quarto com um empate a 13. Nos instantes finais conseguimos uma ligeira vantagem pelo nosso melhor acerto ofensivo onde fizemos um parcial de 7-2.
O 2º período foi totalmente dominado pela nossa defesa agressiva e sem qualquer resposta do adversário. Entrámos neste quarto com parcial de 16-2, dominando desta forma o restante tempo de jogo até ao intervalo.
Mais uma vez o intervalo não nos fez nada bem. Entrámos desconcentrados e apáticos na defesa permitindo ao nosso adversário entrar no jogo, deixando-o fazer vários contra-ataques, mesmo depois de fazermos cestos. Na parte final do quarto melhorámos e voltámos a ganhar uma ligeira vantagem de 6 pontos.
O último e derradeiro período acabou por ser o único equilibrado. O nosso adversário ainda consegui passar a frente 73-69, mas nós reagimos de imediato com um parcial de 2-10 conseguindo controlar o resultado até ao fim do encontro.
Vencemos num campo muito difícil e quebrámos uma maldição que assolava esta geração, que era não conseguir vencer este adversário fora das nossas portas.
Parabéns a todos pelo empenho e atitude demonstrada durante os 40 minutos.
José Guerreiro
Parciais: 15-20; 13-22; 30-22; 18-16
Marcha: 15-20; 28-42; 58-64; 76-80

Galitos: Miguel Oliveira (11); Bolon Sauané (13); Pedro Santos (3); Francisco Gonzalez; Tiago Maio (14); Michael Duarte (13); Pedro Seabra (17); José Sá; Gonçalo Catarino (9); João Limas; Vasco Quintino e Luís Sousa.





Nova Fase de Trabalho do JEEP


O projecto JEEP conheceu uma nova fase neste mês de Fevereiro tendo a coordenação decidido fazer uma pausa nos treinos a realizar de madrugada. Assim, decidimos por em prática uma nova estratégia de forma a conseguir abranger a totalidade dos atletas.

Nas últimas semanas têm sido implementados nos treinos das equipas os exercícios que os nossos “convidados” nos trouxeram ao longo dos ciclos de trabalho do JEEP. Num trabalho de partilha entre os treinadores e que junta as equipas nos primeiros dias da semana, o treino tem presente o trabalho integrado entre técnica, táctica e coordenação por exemplo.
Esta estratégia será continuada nas próximos semanas de forma a longo prazo conseguirmos uma melhoria técnica dos nossos atletas.

Sub-14 B e Sub-13
.

Sub-16 Masculinos A e B
.

Sub-18 Masculinos A e B
.

Seniores Femininos derrotam Lousanense
Sub-18 Masculinos A vencem em S. J. da Madeira
Sub-16 Masculinos A perderam em Ovar
Sub-16 Femininos derrotam Bolacesto

As Seniores Femininos derrotaram o Lousanense por 54-28 e desta forma consolidam o 4º lugar na sua série.

Os Sub-18 Masculinos A foram a S. J. da Madeira derrotar a Sanjoanense por 76-80 na 3ª jornada do Campeonato Nacional. O Galitos esteve praticamente sempre na frente do marcador chegando a dispor de 18 pontos de vantagem na 1ª parte. Ao intervalo a vantagem era de 14, mas na 2ª metade do encontro a Sanjoanense reagiu conseguindo passar para a frente do marcador com 4 pontos de vantagem. Na recta final os Galináceos foram mais fortes e acabaram por vencer bem.

Os Sub-16 Masculinos A foram a Ovar perder com a Ovarense por 64-58 na 2ª jornada do Campeonato Nacional. Depois da vitória na ronda inaugural os jovens Galináceos não conseguiram ultrapassar a Ovarense num encontro que chegou aos minutos finais muito equilibrado.

As Sub-16 Femininos derrotaram o Bolacesto por 53-37 para o Torneio Inter-Associações mantendo-se desta forma em 2º lugar da sua série quando estão disputadas 4 jornadas.

Os Sub-14 Masculinos A foram à Maia perder por margem expressiva com o líder da sua série o Maia BC (107-38) quando falta apenas um jogo para terminar a 1ª Fase do Torneio Nacional.

As sub-14 Femininos foram a Leiria perder com o Basket de Lis por 53-39 para o Torneio Inter-Associações. Depois de vencer este adversário na 1ª volta as jovens Galináceas não foram capazes de ultrapassar as suas adversárias.

Os Sub-14 Masculinos B perderam em casa frente à Ovarense B por 42-81. Apesar da derrota os jovens Galináceos encurtaram diferenças para este adversário.

O MiniGalitos continua com muita actividade. Os Sub-8 participaram em mais um encontro desta vez no Beira-Mar e os Sub-12 voltaram a participar num encontro no Galitos mas só com atletas Galináceos, tendo estado presentes 4 equipas num total de 33 jovens jogadores.



Seniores Masculinos vencem em Vagos


Os Seniores Masculinos derrotaram hoje o AD Vagos por 59-88 mantendo-se desta forma na corrida pela passagem à 2ª Fase quando faltam apenas 2 jornadas para o fim. Neste encontro frente ao último classificado os Galináceos só sentiram algumas dificuldades no 1º período onde o jogo teve equilíbrio. A partir desta altura o Galitos foi progressivamente aumentando a sua vantagem acabando por vencer sem dificuldade.

As equipas B de Sub-16 e Sub-18 Masculinos venceram ambas em casa frente à Oliveirense (58-43) e ao GICA (76-62), respectivamente.


15ª Jornada: Galitos/WEBER 55 – CENAP 48


Triunfo importante em exibição muito cinzenta
As dificuldades com que terminámos a partida para levar de vencido um adversário aguerrido e que nunca parou de lutar por um resultado positivo não eram esperadas face ao excelente começo de jogo que efectuámos.
Efectivamente, dificilmente quem de início viu a facilidade com que conseguimos um parcial de 16-0, acreditava que se chegaria ao término da partida com emoção e incerteza no vencedor. Mas assim foi, pois inexplicavelmente e de forma displicente deixámos o CENAP voltar a discutir o resultado permitindo lançamentos triplos consecutivos que abalaram por completo a nossa equipa que não voltou a encontrar estabilidade.
Os 10 minutos seguintes foram de completo equilíbrio (15-15). As 2 equipas mostravam pouca imaginação no ataque e por isso com alguma entrega na defesa os erros acumulavam-se. Ainda assim fomos para o intervalo com uma pequena vantagem que nos dava muita apreensão por culpa própria.
O 3º período foi simplesmente desastroso. Logo a abrir permitimos novamente 2 triplos consecutivos e ficámos enervados pois no ataque as acções eram ora atabalhoadas ou individualizadas, com evidente insucesso. Para nossa sorte a noite também não era a melhor para o nosso opositor e o ridículo parcial verificado nestes 10 minutos (9-8!!) não deixava dúvidas do mau jogo praticado pelas 2 equipas.
O quarto de jogo final foi no global quase uma cópia do anterior e com o equilíbrio pela negativa a manter-se (12-12!). Após uma pequena melhoria da nossa parte a permitir passarmos a barreira dos 10 pontos de vantagem a pouco mais de meio do período, “adormecemos” e sem concretizar qualquer ponto em ataques consecutivos de individualismo, entrámos nos momentos finais apenas com 3 pontos à maior e a tremer. O final foi de nervos e felizmente acabámos por em poucos segundos converter os pontos necessários para alcançar a vitória.
Neste jogo apenas o resultado foi positivo. A prestação realizada foi muito abaixo do desejado e deveria ser anormal quando estamos no topo da classificação.
Um alerta para os 3 jogos que faltam, que com a atitude evidenciada na partida de hoje nos poderá causar algum desgosto.
Jorge Dias
Parciais: 19-13; 15-15; 09-08; 12-12
Marcha: 19-13; 34-28; 43-36; 55-48

Galitos: Diogo Lima, João Casa Nova, Alexandre Martins (17), Diogo Reis (2), Jaime Neves, António Gaioso, Élio Maia (11), Luís Oliveira (2), Luís Ferreira, Manuel Maia (7), Rui Martins (16) e José Silva.


14ª Jornada: GDB Leça 76 – Galitos/WEBER 67

Decisão adiada

Numa partida que poderia decidir a nossa passagem à fase seguinte, a falta de serenidade, excesso de emoção, atitudes irreflectidas e lesões acabaram por condicionar a prestação efectuada e consequentemente o resultado final.
Em jogo decisivo para o adversário estávamos alertados para a pressão que iríamos sofrer mas a nossa concentração e enfoque apenas nas nossas acções não acabou por ser a desejada.
Se de início, com paciência na procura da melhor situação ofensiva fomos exercendo alguma supremacia sobre o D. Leça (7-11), em poucos minutos de precipitação e algum egoísmo sofremos um parcial de 14-2, fechando o 1º período em desvantagem por 8 pontos.
No período seguinte tivemos prestação oposta. Procedemos a alterações defensivas que baralharam o Leça e no ataque passámos a ser mais agressivos procurando como solução a alternância entre jogo exterior e penetrações na área contrária que originaram bom aproveitamento com a conversão de 26 pontos.
Regressámos do intervalo na liderança da partida e assim nos mantivemos durante todo o 3º período. As 2 equipas mostraram algum receio em acelerar o ritmo de jogo e estiveram “encaixadas” com o equilíbrio a ser a nota predominante e que não podia estar melhor reflectida na diferença mínima verificada no marcador ao fim de 30 minutos.
Nos momentos iniciais do último quarto perdemos a cabeça e consequentemente a concentração. Passivos na defesa e inocentes ao “cair” na ratoeira do adversário ao responder às provocações, sofremos 10 pontos consecutivos que criaram um atraso de difícil recuperação. Após uma pausa ainda conseguimos reagir e voltar à discussão do resultado mas 2 lesões quase consecutivas sentenciaram o desfecho final. Lamentavelmente num jogo que deveria ser para nós de grande motivação para garantirmos praticamente o apuramento para a fase seguinte, demonstrámos muita ansiedade e pouca maturidade para contrariar as adversidades normais num jogo desta importância.
Jorge Dias
Parciais: 21-13; 14-26; 04-20; 22-12
Marcha: 21-13; 35-39; 54-55; 76-67

Galitos: Diogo Lima, João Casa Nova, Alexandre Martins (14), Diogo Reis, Jaime Neves, António Gaioso (14), Élio Maia (14), Luís Oliveira, Manuel Maia (6), Rui Martins (10), José Silva (1) e João Silva (8)

I Torneio Rodrigo Penicheiro

O Clube dos Galitos em parceria com o Esgueira, o Illiabum e a Associação de Basquetebol de Aveiro vão realizar o I Torneio Rodrigo Penicheiro.

Este evento tem como objectivo perdurar a memória de uma pessoa que dedicou a sua vida ao Basquetebol tendo trabalhado e colaborado (Jogador, Treinador e Secretário Técnico) com as 4 instituições que agora se associam na organização deste Torneio.

O seu desaparecimento prematuro será, dentro do possível, minimizada com esta homenagem que se pretende seja repetida todos os anos.

Este ano o Torneio será realizado no Pavilhão do Galitos e no escalão de Cadetes Masculinos e nos próximos anos nos pavilhões do Esgueira e do Illiabum, contando sempre com uma selecção regional representando a ABA.

Clinic de Minibasquete

Tal como nos últimos anos a ABA volta a organizar um Clinic dirigido aos Treinadores que trabalham com o Minibasquete.

Este ano os nomes formadores são por si só garantia de qualidade:

  • Jorge Adelino é uma referência dos treinadores de Formação,
  • Teresa Barata é a Coordenadora dos Cursos de Nível I da ENB
  • Alexandre Correia que foi treinador no Centro de Treino do Jamo

Feliz Aniversário

A Secção de Basquetebol do Clube dos Galitos felicita 0 atleta Sub-10 do MiniGalitos Vasco Silva pelos seus 10 anos e deseja-lhe as maiores felicidades.

6ª Jornada: Galitos/FISIOmanual 36 – Sangalhos 38


Podíamos ter feito muito melhor
Estávamos à espera de um jogo difícil e muito equilibrado, não só pelo resultado do nosso 1º encontro, mas porque fizemos uma semana de treinos menos boa e com muitas ausências.
Começámos o jogo algo nervosos e pouco concentrados. Tínhamos uma estratégia montada para contrariar os pontos fortes das nossas adversárias, mas a ausência da calma necessária para pôr em prática o nosso jogo per-mitiu Sangalhos ganhar uma vantagem pouco comum (8-16).
No 2º período melhorámos o nosso jogo. Contra um cinco adversário menos forte que o 1º, recuperámos parte da desvantagem e “colámos” o resultado ao ponto de irmos para a 2ª parte com a possibilidade de discutirmos o jogo.
No 3º período acusámos novamente algum nervosismo e não conseguimos transformar em pontos as inúmeras bolas recuperadas, muito pelos lança-mentos precipitados, alguns a 4, 5 e 6 segundos de ataque e com oposição eficaz das nossas adversárias (10-15). Tantas foram as vezes que nos esfor-çámos na defesa para compensar as falhas ofensivas que o cansaço acumu-lou-se e fomos para o último período perto dos nossos limites físicos.
Com a exclusão por faltas da jogadora mais influente do Sangalhos, muito por culpa do jogo agressivo que teimava em fazer, tínhamos em aberto a possibilidade de ganhar uma vantagem que nos permitiria ganhar o jogo. Pois isso não aconteceu porque, complicámos o jogo de tal maneira, que aquilo que poderia ser simples, passou a ser uma dor de cabeça. Os sucessivos lançamentos “na passada” falhados, alguns deles em lances isolados desgastavam-nos psicologicamente e aumentava-nos a pressão de resolver o jogo o mais rapidamente possível. Chegámos a dois segundos do fim com a desvantagem de dois pontos e com posse de bola no ataque. Só uma “jogada milagrosa”, conseguia dar-nos o empate para termos a esperança de levar de vencido o Sangalhos. Assim… “morremos na praia”.
Repito que uma semana de treinos pouco concentradas diminui as probabi-lidades de conseguirmos uma boa prestação.
Podemos fazer muito melhor. Pelo Galitos canta, canta…Força meninas!
Miguel Coelho
Parciais: 08-16; 08-03; 10-15; 10-04
Marcha: 08-16; 16-19; 26-34; 36-38

Galitos: Sofia Garrucho, Diana Araújo (4), Joana Cura (6), Rafaela Reis (4), Alexandra Rosa (11), Mariana Limas (5), Maria Folque, Mª Inês Vidal, Matilde Açafrão e Francisca Lourenço (4).




Galitos vence o Esgueira

O Galitos derrotou hoje o vizinho Esgueira por 54-39 na 4ª jornada do Campeonato Nacional, num jogo em que esteve praticamente sempre na frente do marcador.

No inicio existiu algum equilibrio mas a partir de meio do 1º parcial o Galitos ganhou algum ascendente chegando ao intervalo a vencer por 10 pontos de diferença.

Na 2ª parte o Esgueira ainda esboçou uma reacção encostando a apenas 1 ponto de diferença, mas os Galináceos voltaram a fugir acabando por vencer de forma confortável.

1ª Jornada: Galitos/INDASA 68 – Illiabum 54


Renascer das cinzas…
Depois de uma fase final decepcionante, pois perdemos um dos objectivos da época, o início do Nacional era aguardado com alguma expectativa para saber até que ponto tinha deixado marcas.
No início de jogo a equipa Galinácea entrou sem “chama”, muito lenta e pouco agressiva, permitindo que a equipa do Illiabum muito tranquila equi-librasse o encontro.
Após o 1º período a equipa descontraiu e finalmente colocou tudo dentro de campo, dominava os ressaltos, saia mais rápido e conseguia bons lances colectivos, apesar de exagerar no jogo exterior.
A diferença chegou a ser de 16/17 pontos o que permitiu fazer uma gestão da equipa que permitisse que todos dessem o seu contributo no jogo.
A equipa do Illiabum foi sempre muito lutadora mas a partir de certa altura individualizou demasiado os lances, com os Galináceos a controlarem o seu adversário de forma a que nunca estivesse em causa o vencedor.
Parabéns pela resposta que deram nos treinos e neste 1º jogo.
Ricardo Brito
Parciais: 15-17; 21-12; 18-14; 14-11
Marcha: 15-17; 36-29; 54-43; 68-54

Galitos: Pedro Pereira, Hugo Verde (5), João Padilha (18), Emanuel Silva (11), Pedro Marçal (2), Bernardo Fernandes, Henrique Romão, Bruno Fartura (30), João Sérgio, Reynaldo Morales e Luís Pina.


12ª Jornada: Sporting Figueirense 60 – Galitos 63

Atitude defensiva nos últimos minutos dá vitória

Na deslocação à Figueira da Foz encontrámos um Sporting motivado pela inclusão de novos elementos e disposto a regressar às vitórias no seu renovado pavilhão. Sabíamos que este seria um jogo de elevado grau de dificuldade contra uma equipa que tem bons valores individuais e que joga com intensidade e segurança.
As duas equipas entraram no jogo com atitude, baseando a sua forma de jogar numa defesa individual agressiva e em transições rápidas.
Na entrada do 2º quarto, a equipa da Figueira aproveitou da melhor forma alguma desconcentração na nossa defesa e conseguiu um parcial de 7-0. Uma boa reacção do Galitos permitiu reequilibrar o jogo e chegar ao intervalo com apenas 2 pontos de desvantagem.
O equilíbrio continuou a ser a nota dominante em quase todos os momentos da 2ª parte. A boa qualidade técnica das jogadoras da Figueira aliada a boa leitura de jogo criaram-nos alguns problemas para conseguir parar o seu poderio ofensivo. Por esse motivo, apesar de nunca deixarmos a equipa adversária afastar-se no marcador, estivemos sempre atrás até meio do 4º período.
A 5 minutos do final do jogo e a perder por 7 pontos (58-51) aumentámos a intensidade defensiva e conseguimos recuperar algumas posses de bola. Aproveitando da melhor forma a perturbação da equipa adversária conseguimos um parcial de 0-9 passando para a frente no marcador a pouco mais de 1 minuto do final do jogo. Com serenidade, controlámos as últimas posses de bola, garantimos uma boa gestão do tempo de ataque e uma importante vitória.
É importante referir que só foi possível ganhar este jogo porque houve uma atitude vencedora da equipa. A forma como defendemos nos últimos 5 minutos deveria ser uma referência daquilo que queremos para a nossa defesa. Ficou evidente que a nossa qualidade de jogo sobe alguns patamares quando defendemos com atitude, inteligência e de forma colectiva. Mais uma vez se provou que os jogos difíceis se ganham a defender bem.
Para terminar, uma referência para a excelente qualidade do pavilhão do Sporting Figueirense que, após as obras de renovação, ficou com óptimas condições para a prática desportiva e mostrou que ainda há locais onde dá gosto jogar. Apenas a lamentar que um orçamento gigantesco não tenha contemplado a colocação de um marcador electrónico!
Hugo Fernandes
Parciais: 15-15, 20-18, 17-14, 08-16
Marcha: 15-15, 35-33, 52-47, 60-63

Galitos: Manuela Oliveira (1), Cláudia Conceição, Teresa Oliveira, Daniela Ramos (22), Inês Afonso, Diana Marques (3), Vânia Costa (2), Maria Cristo (11), Andreia Migueis, Soraia Magalhães (6), Sara Morais (18) e Rita Pires.

5ª Jornada: Galitos/FISIOmanual 58 – Sporting Figueirense B 20

O resultado fala por si

Tínhamos a lição bem estudada, até porque já tínhamos observado a equipa adversária e conhecíamos bem os seus pontos fracos. Apesar de ser uma equipa B, são jogadoras agressivas e que nunca baixam os braços.
Entrámos bem no jogo, mais concentrados que no último encontro. Vínhamos de uma derrota e isso obrigava-nos a ter outro comportamento. O parcial de 17-2 deu-nos a tranquilidade para encararmos o 2º período com mais calma.
O 2º período foi idêntico ao 1º. Mais forte no ataque e com uma defesa organizada aumentámos novamente a vantagem. Ao intervalo, o resultado era claramente vantajoso para a nossa equipa (35-06).
Na 2ª parte, mais do mesmo (16-02 no 3º período). A nossa equipa continuava a criar lances de vantagem e nem a sucessiva rotação das jogadoras fazia cair o nosso nível de jogo.
No último período, cansados pela defesa a todo campo durante 50% do jogo e com jogadoras com menos tempo de jogo em campo, baixámos a nossa prestação e acabámos por perder o último parcial por 7-12.
Independentemente do nível do nosso adversário, contámos com uma pres-tação muito eficaz de algumas das nossas jogadoras que habitualmente não marcam tantos pontos.
Foi evidente que uma semana de treinos concentradas e na procura de melhorarmos o nosso basquetebol individual e colectivo aumenta as probabilidades de conseguirmos uma boa prestação no nosso jogo.
Dependemos todos uns dos outros. Podemos e vamos fazer muito melhor.
Pelo Galitos canta, canta… Força meninas!
Miguel Coelho
Parciais: 17-02; 18-04; 16-02; 07-12
Marcha: 17-02; 35-06; 51-08; 58-20

Galitos: Sofia Garrucho (10), Diana Araújo (6), Joana Cura (13), Rafaela Reis (13), Alexandra Rosa (9), Mariana Limas (2), Maria Folque (2), Mº Inês Vidal (2) e Matilde Açafrão (2).


Galitos perde na recepção ao
CNT Paulo Pinto




O Galitos perdeu esta noite frente à equipa do Centro de Treino Paulo Pinto por 44-47.

Os atletas do Centro de Treino que está instalado em São João da Madeira mostraram-se mais agressivos na defesa conseguindo contrariar o ataque da equipa do Galitos e a prova disso mesmo foi o resultado que se verificava ao intervalo 14-16, onde as defesas de ambas as equipas foram claramente superiores aos ataques adversários.
Na 2ª parte, apesar de ofensivamente ambas equipas terem estado melhor, o CNT, fruto da sua agressiva defesa conseguiu vencer este encontro.


Galitos recebe a visita do CNT Paulo Pinto


Integrado no Campeonato Nacional de Sub-20 o Galitos defronta hoje às 21h30 no seu Pavilhão a equipa do CNT Paulo Pinto. Estes jogos servem essencialmente para os jovens  Sub-16 que estão integrados no Centro de Treino se preparem para a participação no Campeonato da Europa que se realiza no Verão.

Uma boa oportunidade para ver em acção alguns dos melhores jogadores do país nascidos em 95 em confronto com adversários bastante mais velhos (Sub-20).

3ª Jornada: Galitos/HELLO FAGOR 53 – Vasco da Gama 67


Lição repetida
A visita do Vasco da Gama mostrou novamente as nossas fraquezas e vincou que não tínhamos aprendido a lição no jogo anterior realizado em nossa casa, ao deitar tudo a perder com uma prestação menos que sofrível nos 10 minutos do 2º período.
A uma entrada concentrada onde com paciência no ataque obrigávamos o Vasco a jogar ao ritmo que nos interessava permitindo equilibrar o marcador durante o 1º quarto, passámos a um grupo perdido e sem soluções no ataque aliada a uma passividade inexplicável na defesa no 2º período.
Estivemos quase meio período sem concretizar pontos em resultado da ausência de trabalho sem bola face à pressão nas linhas de primeiro passe exercida pelo adversário. Não recuperando defensivamente fomos sofrendo pontos atrás de pontos sem qualquer oposição da nossa parte e nem mesmo a alteração defensiva efectuada trouxe uma mais-valia, pois a apatia continuou instalada. Assim chegámos ao intervalo com poucas hipóteses de discutir a vitória no jogo após um parcial de 6-24!
Os segundos 20 minutos foram diferentes para melhor mas insuficientes para podermos concretizar uma reviravolta no resultado.
Depois de deixarmos aumentar para a diferença máxima de 29 pontos logo nos minutos iniciais da 2ª parte, realizámos uma pequena reacção ao pressionarmos em todo o campo mas sem conseguirmos colocar em causa a superioridade do Vasco da Gama. Um bom parcial (17-7) levou-nos a baixar a barreira das duas dezenas de desvantagem no final do 3º período.
O último período foi praticamente uma cópia do anterior. Continuámos a defender em todo o campo mas sem conseguirmos com isso provocar erros suficientes ao adversário para tirarmos desse facto um aproveitamento maior a nível ofensivo, onde nos mostrámos sempre muito confusos. Vencemos novo quarto pela diferença de 5 pontos e terminámos o jogo com uma desvantagem mais “simpática” face à exibição efectuada.
Lamentavelmente repetimos a mesma prestação do jogo anterior realizado no nosso pavilhão. Mais uma vez ficou demonstrada grande diferença de atitude, vontade e querer entre a nossa equipa e um adversário que tem sempre estas características vincadas no seu jogo. Neste caso em concreto, o Vasco da Gama “apenas” correu e lutou mais do que nós para vencer a partida de forma natural.
Jorge Dias
Parciais: 12-18; 06-24;17-12; 18-13
Marcha: 12-18; 18-42; 35-54; 53-67

Galitos: Diogo Lima (2), Pedro Lourenço (2), Bolon Sauané, Gonçalo Catarino (9), Michael Duarte (4), Élio Maia (14), Simão Ratola (4), Pedro Santos (18) e Hugo Parracho.


2ª Jornada: Galitos/ATRIUM 55 – Vasco Gama 66

Terceiro período decisivo

Nesta 2ª jornada recebíamos a forte e candidata equipa do Vasco da Gama. Entrámos a dominar o jogo com saídas rápidas em contra-ataque e a contrariarmos bem o jogo ofensivo do nosso adversário, fazendo um parcial de 8-4, no entanto com a pouca paciência que revelámos em procurar as melhores soluções de finalização acabámos o 1º parcial já a perder 11-15.
O 2º período teve 2 partes dentistas, inicialmente o nosso adversário dominou e conseguiu uma vantagem de 10 pontos, mas a nossa reacção defensiva, com grande ritmo ofensivo, permitiu-nos fazer um parcial de 20-8, acabando a 1ª parte na frente (33-31).
Na 2ª parte tudo nos correu mal, inicialmente entrámos apáticos ofensivamente e passivos na defesa, o que nos custou claramente a 2ª derrota da temporada. Sofremos 16 pontos e convertemos apenas 2, deixando mais uma vez o adversário fugir para 11 pontos de diferença.
No 4º período o equilíbrio foi constante, o próprio parcial assim o espelha 13-13. Apenas lamentar que a nossa equipa neste 4º e derradeiro tempo falhou 10 lance livres, grande parte deles nos últimos minutos de jogo, foi quando a dupla de arbitragem decidiu penalizar o nosso adversário com os contactos que foram constantes ao longo de todo o encontro perto do cesto onde atacávamos.
Resumindo, apenas podemos nos queixar de nós próprios, pelos cestos falhados em áreas de jogo onde somos eficazes e na linha de lance livre termos sido demasiado perdulários, “apenas” falhámos 18 lances livres.
Em suma temos de trabalhar melhor e mais concentrados, ainda com mais atitude e acreditarmos em nós próprios.
José Guerreiro
Parciais: 11-15; 22-16; o9-22; 13-13
Marcha: 11-15; 42-53; 42-53; 55-66

Galitos: Miguel Oliveira (8); Bolon Sauané (8); Pedro Santos (4); Francisco Gonzalez (2); Tiago Maio (14); João Clemêncio; Michael Duarte (11); Pedro Seabra; João Padilha (2); Bruno Fartura; José Sá e Gonçalo Catarino (6).

1ª Jornada: Oliveirense 30 – Galitos/COMP FITNESS 71

Muita tranquilidade
Entrámos tranquilos e calmos para este jogo e talvez por esse motivo con-trolámos o encontro do princípio ao fim. Estivemos bastante bem no aspecto defensivo, sempre muito certinhas na marcação. Dominámos as tabelas com muitos ressaltos defensivos, o que nos facilitou inúmeros contra-ataques de fácil finalização.
Estivemos muito bem em todos os aspectos do jogo, nomeadamente na percentagem de lançamentos de campo e também nos ressaltos ofensivos o que nos permitiu fazer segundos lançamentos. Melhorámos bastante na linha de lance livre.
Gostavamos de realçar os 19 pontos da jovem cadete Mariana Oliveira em apenas 25 minutos de jogo e também o facto da atleta Joana Reis nunca ter faltado a nenhum treino desde o início da época estando portanto com 100% de presenças.
De modo geral a equipa teve bom desempenho. Parabéns meninas.
Armando Mouro
Parciais: 15-19; 01-16; 06-13; 08-33
Marcha: 15-19; 16-35; 22-48; 30-71

Galitos: Beatriz Pereira (6), Lia Delgado, Renata Santos (9), Ana Samy (15), Joana Reis (5), Edna Neto (5), Andreia Santos (2), Mariana Oliveira (19), Tânia Vieira (7) e Ana Pinho (3).


Feliz Aniversário

A Secção de Basquetebol do Clube dos Galitos felicita o atleta Sub-18 Pedro Seabra pelos seus 17 anos e deseja-lhe as maiores felicidades.

;;
Galitos Basquetebol - Original Posting Rounders 3 Column | Design: Douglas Bowman | Modification: Ricardo Brito/João Cura