P A T R O C I N A D O R E S

Festa do Basquetebol Juvenil
Selecções Regionais ABA
Bolon
Sauané

Sub-16

João
Padilha

Sub-14

Bruno
Fartura
Sub-14











Depois de participarem em todos os trabalhos das selecções masculinas da ABA os atletas Galináceos Bolon Sauané, pelos Sub-16 e João Padilha e Bruno Fartura pelos Sub-14 irão estar no maior evento desportivo do país para equipas de formação – Festa do Basquetebol Juvenil que pelo 3º ano consecutivo realiza-se em Portimão.

A Associação de Basquetebol de Aveiro é neste momento a única Associação que, nas duas edições anteriores, colocou as suas 4 equipas nas meias finais da competição, sagrando-se campeã nacional de Sub-14 masculino e feminino em 2007 e 2008.

Aos 3 representantes do Galitos desejamos felicidades e que dignifiquem o clube e a Associação que vão representar. Boa sorte e felicidades.

Mês de Março - Cadetes A
Destaque Mensal de participação nas actividades da Equipa

Num mês com muita actividade competitiva, destaque para o André Occhialini, Luís Sousa e Francisco Ganzalez que participaram em todas as actividades e para mais 8 jogadores da Equipa de Cadetes A, que durante este mês participaram em mais de 80% das actividades, entre treinos e jogos.


Mês de Março

Nome

Treinos

17

Jogos

6

Total

23

%

André Occhialini

17

6

23

100

Francisco Gonzalez

17

6

23

100

Luís Sousa

17

6

23

100

José Sá

16

6

22

96

João Clemêncio

16

6

22

96

Pedro Santos

17

5

22

96

Filipe Pereira

17

5

22

96

Bolon Sauné

15

6

21

91

João Limas

14

6

20

87

Francisco Vieira

17

3

20

87

Vasco Quintino

13

5

18

78





"Mais do que qualquer outro factor é de persistência que o sucesso precisa para acontecer."

Ralph Marston






TreinadoresGalitos: Quantos anos tens de prática de basquetebol?
João Clemêncio (Cadetes A): Este é o 4º ano que pratico basquetebol

TreinadoresGalitos: Quais as razões que te fizeram começar a jogar basquetebol? E porquê no Clube dos Galitos?
João Clemêncio: Comecei a jogar basquetebol porque a maior parte do meu grupo de colegas jogava e quando comecei a experimentar, jogando com eles, achei divertido e portanto inscrevi-me. Escolhi o Galitos porque era onde todos os meus colegas jogavam e porque fica perto de minha casa.

TreinadoresGalitos: Consegues conciliar o basquetebol com os estudos?
João Clemêncio: Sim, tempo para estudar não falta e este desporto sempre alivia um pouco os stresses das aulas e dos testes.

TreinadoresGalitos: De toda a tua experiência no basquetebol e no Galitos, quais os momentos mais marcantes, pela positiva e pela negativa?
João Clemêncio: O momento mais marcante até hoje, pela positiva, foi, claramente, a fase final nacional em Iniciados A. Pela negativa tem sido toda este época pois penso que temos qualidades para estarmos melhor, mas não as estamos a saber aproveitar.

TreinadoresGalitos: Quais os teus objectivos pessoais no basquetebol? E para a tua equipa?
João Clemêncio: Para a minha equipa é chegarmos o mais longe possível no campeonato nacional. Pessoalmente os meus objectivos são melhorar as minhas capacidades, divertir-me e conviver com o grupo onde ‘trabalho’ que eu acho que é muito bom.

TreinadoresGalitos: Tens algum modelo? Qual o exemplo que gostarias de seguir?
João Clemêncio: Um bom modelo de jogador penso que é o Ricardo Brito, pois acho que é um bom jogador e sempre conseguiu conciliar os estudos com o desporto, tendo agora um trabalho, sendo jogador e para além disso ainda é um bom treinador, dos mais importantes que eu trabalhei até hoje.

TreinadoresGalitos: O que esperas conseguir esta temporada no Galitos?
João Clemêncio: Neste momento acho complicado ficarmos nos 2º primeiros lugares do nacional para passarmos à fase final, mas até ao final o objectivo vai ser sempre esse. Se não der nem o 1º nem o 2º, o objectivo é, obviamente, o mais perto desses lugares.

TreinadoresGalitos: Como caracterizas o ambiente na tua equipa e no Clube.
João Clemêncio: Como já disse antes, adoro o meu grupo, tanto dentro como fora de campo. Só tenho pena de por vezes alguns jogadores, com muitas capacidades, baixarem a cabeça e ficarem amuados quando estamos pior, porque o objectivo é levantar a cabeça e trabalhar em equipa para podermos ser superiores.

TreinadoresGalitos: Costumas visitar o Blog Treinadores.Galitos?
João Clemêncio: Costumo. Na minha opinião serve para estarmos actualizados sobre os jogos de todos os escalões do nosso clube e acho isso muito importante.

TreinadoresGalitos: Deixa uma mensagem para os colegas a tua equipa.
João Clemêncio: Trabalhar muito nos treinos e dar tudo o que temos nos jogos.


"Quem não espera vencer, já está vencido."


José de Alencar


6ª Jornada: Desportivo Leça 68 – Galitos 56

Galitos perde na deslocação a Leça da Palmeira

Em jogo antecipado da 6ª jornada do Campeonato Nacional o Galitos perdeu com o Desportivo de Leça.
Depois do bom jogo realizado na última jornada em casa, a equipa, inexplicavelmente, entrou em campo algo receosa, pouco agressiva a defender e deixando-se intimidar no ataque pelos fortes jogadores interiores adversários (um deles concretizou 15 pontos logo no 1º período), permitindo um parcial de 16-4 nos primeiros 5 minutos de jogo (curiosamente a diferença que se viria a verificar no final do jogo).
Para além da vantagem adversária perto do cesto os seus jogadores exteriores foram sempre mais agressivos e condicionaram bastante o nosso ataque que não conseguia jogar nas suas posições habituais, mantendo-nos afastados do cesto.
Apesar disso conseguimos equilibrar o jogo até final da 1ª parte e se não tivéssemos, nos últimos segundos, falhado um lançamento na passada sem oposição ao que se seguiu um triplo sofrido sobre o apito final teríamos ido para o intervalo com o jogo mais equilibrado.
Na 2ª parte voltámos a não entrar bem, pouco agressivos a atacara e a defender, aproveitando o adversário para fugir para os 20 pontos de diferença.
Na parte final do 3º período finalmente começámos a ser mais agressivos na defesa, condicionando o Desportivo Leça o que nos permitiu encurtar a diferença para apenas 7 pontos, a cerca de 2 minutos do final do jogo. Neste momento com direito a 2 lances livres e posse de bola não fomos capazes de aproveitar nenhuma das situações o que poderia ter “encostado” o marcador.
Refira-se ainda que ao longo de todo o jogo desperdiçámos 15 lances livres, aspecto do jogo em que também tínhamos estado muito bem há uma semana atrás…
Tivemos uma boa reacção que mostrou, tal como na semana passada, a forma como a nossa equipa deve jogar sempre, até porque temos profundidade no grupo que assim o permite. Vamos continuar a treinar para o conseguir colocar em prática mais vezes e durante mais tempo.
João Cura
Parciais: 22-14; 17-11; 14-10; 15-21
Marcha: 22-14; 39-25; 53-35; 68-56

Galitos: Filipe Pereira, Francisco Gonzalez (1), Bolon Sauané (14), João Clemêncio (9), André Occhiallini (4), José Sá (9), Luís Sousa (4), João Limas (2), Pedro Santos (6), Luís Folque (6) e Vasco Quintino (1).

9ª Jornada: Galitos 69 – Ovarense 72

Derrota comprometedora

Tínhamos para connosco um compromisso de vencer os 7 jogos em casa. Já não o vamos conseguir. Num dia menos bom da nossa parte, a Ovarense soube aproveitar a nossa intranquilidade e vencer justamente, um jogo que gostaríamos muito de não ter perdido.
Ao contrário de muitos outros jogos que já vencemos esta época, não soubemos ser pacientes. Não começámos bem e quase nunca soubemos reagir a esse facto. Depois de 8-0 a favor da Ovarense, conseguimos ir equilibrando o período, apesar de ainda estarmos a perder no final do mesmo (13-16).
No 2º período melhorámos a nossa intensidade, mas depois de estarmos na frente por 4 pontos (32-28), ainda permitimos que a Ovarense acabasse a 1ª parte na frente (37-35).
Entre todos, no intervalo, tentámos reunir forças para mais uma vez superarmos as nossas dificuldades. Fizemos um bom reinício de jogo. Mais fortes a defender, conseguimos finalizar várias vezes em superioridade rápidas transições ofensivas. Conseguimos uma vantagem de 10 pontos, que no entanto não iríamos saber gerir nem aumentar. Já com o adversário a defender uma agressiva zona 2x3, cometemos 3 turn-overs que permitiram rapidamente o aproximar no marcador. O final do período chegava com uma igualdade a 52 pontos.
No último período o jogo manteve-se sempre equilibrado. Fomos comandado o marcador até aos 63-60. Aí a nossa precipitação veio ao de cima. Fomos inseguros no ataque e não fomos capazes de impedir o bom jogo colectivo da Ovarense. Um novo parcial de 8-0 adversário, colocava-nos de novo em má posição para conseguir mais uma vitória. Até final, apesar da nossa entrega, perdemos dois ressaltos defensivos consecutivos que deram a gestão do jogo á Ovarense. A 5 segundos do fim, ainda tivemos uma posse de bola mas não conseguimos concretizar.
Esta derrota afasta-nos um pouco do direito que temos em discutir o apuramento. Mas não nos afasta de vez. Nos próximos jogos teremos em campo uma equipa do Galitos que de certo não desistirá.
João Neto
Parciais: 13-16; 22-21; 17-15; 17-20
Marcha: 13-16; 35-37; 52-52; 69-72

Galitos: Diogo Peralta (4), Gonçalo Pereira, João Silva (6), Élio Maia, Nuno Gonçalves (5), Ricardo Leite (8), António Gaioso (10), Hugo Carvalho (1), Rui Oliveira (2), Rui Puga (17), Carlos Resende (16) e Hugo Soares.

3ª Jornada: Illiabum B 40 – Galitos C 43

Galitos volta a ganhar jogo equilibrado

O Galitos deslocou-se ao pavilhão do Illiabum para a 3ª jornada da 4ª fase do Campeonato Regional.
Com um inicio muito concentrado e com uma boa postura defensiva, embora cometendo alguns erros na transição para o ataque, conseguimos dominar o 1º período quase sem sofrer pontos, apenas nos segundos finais o nosso adversário consegui marcar através de lances livres, chegando o final do 1º parcial com o resultado em 2-11.
No 2º período o equilíbrio foi uma constante e nós não conseguimos aumentar a vantagem que trazíamos do 1º período. Ao intervalo vencíamos pelos mesmos 9 pts de vantagem (12-21).
No 3º período não conseguimos ser tão esclarecidos, como fomos na 1ª parte e o adversário aproveitou os nossos erros para se aproximar no marcador, chegando mesmo a igualar o resultado (27-27) a 2 minutos do fim do período. Voltámos a reagir e a conseguir uma ligeira vantagem (27-33), resultado com que entramos no 4º e ultimo período.
Nesta fase voltámos a não estar bem em termos de transição, o que fez com que adversário crescesse e voltasse a empatar o jogo (34-34), daqui até ao fim houve sempre equilibrio, acabando por pender para nós a vantagem no resultado final (40-43).
Paulo Santos
Parciais: 2-11; 10-10; 15-12; 13-10
Marcha: 2-11; 12-21; 27-33; 40-43

Galitos: Tiago Maio (19), Francisco Vieira (6), Francisco Antunes, Alexandre Oliveira, Jorge Paula, João Ferreira (9), Tiago Vasconcelos (1), Miguel Ferreira (7) e Francisco Mata.

Faltas Ofensivas

Na defesa, tal como no ataque, é fundamental agir e não apenas reagir às iniciativas adversárias. É importante que cada jogador seja capaz de se antecipar ao que o seu adversário pretende fazer. Este aspecto é particularmente importante na defesa, uma vez que o atacante tem a vantagem de poder decidir o que fazer com a bola.
Um bom defender que consiga antecipar-se ao atacante não só pode inviabilizar as suas iniciativas como pode inclusivamente “obrigar” o adversário a cometer faltas ofensivas. Para conseguir “sacar” este tipo de faltas para além de se antecipar é importante ter uma grande dose de coragem.
Aprende como fazer com um bom defensor – Shane Battier dos Houston Rockets.


TreinadoresGalitos: Quantos anos têm de prática de basquetebol?
Luis Vieira (Cadetes B): Pratico basquetebol há sensivelmente 6 anos se não estou em erro.

TreinadoresGalitos: Quais as razões que te fizeram começar a jogar no Galitos?
Luis Vieira: Eu gostava bastante de basquetebol, então resolvi inscrever-me numa equipa, e como o Galitos era e é o clube mais prestigiado de Aveiro, resolvi optar por me inscrever neste clube.

TreinadoresGalitos: Consegues conciliar o basquetebol com os estudos?
Luis Vieira: Sim, com um pouco de dedicação e organização é fácil de conciliar as duas coisas.

TreinadoresGalitos: De toda a tua experiência no basquetebol, qual o momento mais marcante?
Luis Vieira: O momento mais marcante durante esta minha experiencia no basquetebol é sem qualquer dúvida ter ido à Final Four de Iniciados em São João da Madeira no ano passado, foi um grande momento.

TreinadoresGalitos: Quais os teus objectivos pessoais no basquetebol?
Luis Vieira: Os meus objectivos neste momento são empenhar-me, trabalhar todos os treinos de modo a evoluir nesta modalidade e também para que o treinador possa contar sempre comigo.

TreinadoresGalitos: Tens algum modelo? Qual o exemplo que gostarias de seguir?
Luis Vieira: Não tenho nenhum modelo, mas é claro que gostaria de um dia vir a jogar como o LeBron James, mas sei que é muito complicado, e que para isso teria de trabalhar muito e dedicar-me ainda mais.

TreinadoresGalitos: O que esperas conseguir esta temporada no Galitos?
Luis Vieira: Este ano o grande objectivo é evoluir como jogador e principalmente termos uma equipa unida, para podermos “lutar” por algo melhor para o próximo ano.

TreinadoresGalitos: Uma mensagem para a tua equipa.
Luis Vieira: A mensagem que eu deixo à minha equipa é que trabalhem, que se esforcem todos os treinos, para sermos a melhor equipa de Aveiro, porque temos qualidade para isso.


O homem não teria alcançado o possível, se inúmeras vezes não tivesse tentado atingir o impossível.
Max Weber

3ª Jornada: Galitos B 56 – AD Vagos 66

Erros elementares custam o jogo

Defrontamos o Vagos, uma equipa que revelou desde logo uma organização e estrutura diferente das que temos encontrado.
Entrámos bem no jogo liderando o marcador ate aos 12-10. Colocámos na defesa os princípios que trabalhamos para defender os bloqueios, saímos rápido para o contra-ataque e aproveitávamos os espaços concedidos.
O jogo manteve-se equilibrado até meio do 2º período onde avolumamos vários erros elementares, desde ressaltos perdidos, desatenções defensivas (falta de equilíbrio na defesa do jogador com bola, e má colocação quando a bola estava no lado contrário), perdas de bola nas reposições em que entregamos a bola ao adversário.
A partir daí tivemos dificuldade em voltar às boas opções e a ter iniciativa, especialmente porque não conseguimos lidar com os erros e as correcções e revelámos que precisamos de reentrar no jogo com outra atitude e concentração.
Precisamos efectivamente de uma atitude mais positiva, saber que todos erramos mas temos oportunidade de fazer outras coisas ao longo do jogo.
No 4º período, refeitos das dificuldades, fomos mais agressivos na defesa e apesar de não termos as melhores opções no ataque reduzimos para a diferença final de 10 pontos, com um parcial de 16-8.
Fundamentalmente, no aspecto anímico, desaparecemos do jogo. Juntos temos de diagnosticar as dificuldades e combate-las de forma a continuar o nosso percurso.
Luís Araújo
Parciais: 18-21; 10-22; 12-15; 16-08;
Marcha: 18-21; 28-43; 40-58; 56-66;

Galitos: Pedro Seabra (5), Gonçalo Catarino (12), Luís Vieira (6), Pedro Godinho (4), Miguel Carvalho (2), João Lemos (2), João Tavares (2), José Gonçalves (12) e João Azoía (10).

Defesa HxH

Apesar de nem sempre ser lhe dada a devida importância a defesa corresponde a 50% do jogo. Por norma passamos metade do tempo a atacar e metade a defender. Quase nunca damos tanta importância ao treino da defesa como dados ao treino do ataque. Para atacar estamos sempre prontos, para defender nem sempre e nem todos estão 100% disponíveis e suficientemente motivados.
Com estas propostas apresentadas por um dos melhores defensores da NBA, Bruce Bowen, dos San Antóno Spurs, podemos melhorar os nossos fundamentos defensivos e ficarmos jogadores muito mais completos.


TreinadoresGalitos: Quantos anos tens de prática de basquetebol?
João Azoia (Cadetes B): Já pratico Basquetebol à 3 Anos.

TreinadoresGalitos:
Quais as razões que te fizeram começar a jogar no Galitos?
João Azoia: Vim de Lisboa e lá praticava futebol, mas depois mudei me para Aveiro quis experimentar um desporto novo. A minha mãe inscreveu-me nos galitos, fui experimentar, gostei e acabei por ficar.

TreinadoresGalitos: Consegues conciliar o basquetebol com os estudos?
João Azoia: Sim, só tenho dificuldade quando tenho testes porque do resto está tudo bem.

TreinadoresGalitos: De toda a tua experiência no basquetebol, qual o momento mais marcante?
João Azoia: Quando ficámos em 3º lugar na Distrital nos iniciados A acho que até agora foi o melhor, não só por ter sido um momento único mas porque nos esforçámos para concretiza-lo.

TreinadoresGalitos: Quais os teus objectivos pessoais no basquetebol?
João Azoia: Conseguir aperfeiçoar cada vez mais a minha técnica para poder chegar a um nível superior.

TreinadoresGalitos: Tens algum modelo? Qual o exemplo que gostarias de seguir?
João Azoia: Gostaria de seguir o exemplo de qualquer jogador da NBA, porque para mim chegar a NBA era um sonho por isso tento esforçar me para conseguir alcança-lo.

TreinadoresGalitos: O que esperas conseguir esta temporada no Galitos?
João Azoia: Esta temporada quero melhorar para, pelo menos, ficar outra vez em 3º lugar no distrital do próximo ano, mas claro que gostaria de ficar em primeiro lugar e vou fazer tudo para que isso aconteça.

TreinadoresGalitos: Uma mensagem para a tua equipa.
João Azoia: Acho que se jogarmos mais em equipa conseguimos ganhar qualquer jogo.

Toda a gente diz que tens que jogar com os teus cinco melhores jogadores, mas eu descobri que se ganha com os cinco que encaixam melhor uns nos outros.
Red Auerbach
(ex-treinador dos Boston Celtics)
(o treinador com mais títulos conquistados na NBA)


Galitos está na 2ª Fase do Campeonato Nacional

Iniciámos a 1ª fase do Torneio Nacional de Sub-14 com alguma expectativa uma vez que os atletas não possuíam nenhuma experiência neste tipo de competição e também por chegarmos a esta fase como a melhor equipa de Aveiro, uma vez que não tínhamos perdido nenhum encontro até então. Mas como ambiciosos que somos encaramos positivamente este desafio.
O primeiro encontro foi no sempre difícil terreno do Desportivo da Povoa e até ao intervalo sentimos algumas dificuldades em explanar o nosso potencial, mas na 2ª parte dominámos completamente o encontro, ganhamos claramente ao 3º classificado da ABP.
A 2ª jornada, no 1º jogo em casa desta fase não encontrámos dificuldades em levar por vencida a frágil equipa do Basket de Vila Real (embora uma equipa com algum potencial tendo em conta a realidade regional).
A 3ª jornada foi a 1ª prova de fogo desta equipa e reprovámos! A 1ª parte foi dominada claramente pela equipa do Académico (2º classificado da ABP) e uma excelente 2ª parte não foi suficiente para levar de vencida esta equipa perdendo por apenas 4 pontos.
No jogo seguinte, ainda a sentir o peso da 1ª derrota voltámos a perder um jogo em que, desfalcados de alguns atletas, defrontámos a inteligente equipa da Oliveirense que com um 3º período fabuloso conseguiu vencer-nos apesar de termos ganho os outros 3 parciais.
A 1ª volta termina com uma vitória clara em casa frente à equipa da Académica, sendo uma boa reacção às duas derrotas consecutivas.
Acabamos a 1ª volta em 3º lugar empatados com o 2º classificado.
A 2ª volta inicia-se com mais duas vitórias contundentes perante adversários que muito lutaram mas nunca conseguiram ser-nos superiores em nenhum aspecto do jogo.
Na 8ª jornada recebemos o ainda invicto Académico e mesmo sem a presença do seu treinador, ausente por motivo de lesão, vencemos esta forte equipa (por 6 pontos que em caso de igualdade nos daria vantagem) após uma 2ª parte e um prolongamento de luxo. Nesta fase tínhamos dado um passo de gigante rumo ao apuramento para a fase seguinte.
Na jornada seguinte defrontamos a equipa da Oliveirense, dominando claramente o jogo (à entrada para o ultimo período vencíamos por 18 pontos). Só uma reacção da Oliveirense no ultimo parcial chegou a assustar a equipa do Galitos que serenamente conseguiu manter-sena frente e vencer justamente um jogo que lhes deu o acesso, a uma jornada do fim, para a 2ª fase do Campeonato Nacional.
Na última jornada e já com a classificação definida fomos a Coimbra numa tarde de imenso calor vencer a equipa local por 18 pontos sendo o 3º período decisivo para esta vitória.
Parabéns a todos pelo objectivo alcançado e agradecer de uma forma especial aos pais dos atletas o apoio incansável que é semanalmente dado aos jogadores.
Nova etapa e novos objectivos se seguem…
Ricardo Brito

5ª Jornada: Galitos 85 – Ginásio Fig. 48

Grande atitude
Depois de 4 derrotas consecutivas o Galitos reagiu da melhor forma realizando um jogo com grande atitude e colectivismo.
Dos 4 jogos realizados tínhamos a forte convicção que em pelo menos 2 deles tivemos tudo para vencermos o que não veio a acontecer com muito demérito nosso. Por essa razão a equipa estava com muita vontade de rectificar o que ainda não tinha conseguido fazer, entrando no jogo com forte atitude e procurando resolver todos os problemas de forma bastante colectiva, principalmente na defesa.
Com grande intensidade na defesa e no ressalto defensivo desde cedo tirámos partido do nosso contra-ataque que nos permitiu criar boas situações de lançamento. Neste capítulo, contrariamente ao que tem acontecido, fomos eficazes a aproveitar estas situações.
O intervalo chegava e nós já vencíamos por 22 pontos de diferença.
A equipa adversária não baixou os braços tentando sempre encurtar distâncias, mas nós não estávamos nada interessados em voltar a repetir erros do passado. Mantivemos a mesma concentração e atitude do 1º ao último minuto e fomos aumentando a nossa vantagem. Terminámos com uma vitória clara e justa mas que provavelmente não espelha a diferença de valores entre as duas equipas mas que neste jogo foi mesmo real face à forte atitude e empenhamento que fomos capazes de colocar em todo o jogo.
Parabéns pelo jogo realizado. É importante dar continuidade.
João Cura
Parciais: 26-17; 23-10; 17-12; 19-09
Marcha: 26-17; 49-27; 66-39; 85-48

Galitos: Filipe Pereira, Francisco Gonzalez (2), Bolon Sauané (14), André Occhiallini (13), João Clemêncio (2), José Sá (10), Luís Sousa (13), João Limas (2), Pedro Santos (18), Luís Folque (6) e Vasco Quintino (5).

10ª Jornada: Académica 55 – Galitos 73

Galitos vence ultimo jogo da 1ª fase do nacional

Este domingo a equipa Galinácea deslocou-se à cidade de Coimbra e venceu de forma clara a equipa dos “Estudantes”.
Livres de qualquer pressão por já ter garantido a passagem a 2ª fase na jornada anterior, o Galitos iniciou o jogo de forma descontraída mas concentrada, defendendo muito bem mas nem sempre sendo eficazes na finalização.
Terminámos o 1º período a vencer por apenas 6 pontos, o que não espelhava a diferença que até então havia entre as duas equipas.
O 2º período foi desastroso, defendeu-se mal e perderam-se muitas bolas na saída para o ataque, mais por precipitação nossa do que por dificuldades criadas pela defesa adversária. Felizmente a Académica não aproveitou as facilidades cedidas e apenas venceu este período pela mesma diferença que tínhamos ganho o 1º, chagando assim ao intervalo empatados.
Mais uma vez o intervalo foi bom conselheiro e a partir daí dominamos claramente o 3º período tal como tínhamos feito no início, mas desta vez com expressão no resultado, vencendo por 18 pontos.
O 4 período a equipa Galinácea foi gerindo o resultado acabando por vencer este jogo e terminar a 2ª volta sem derrotas.
Parabéns mais uma vez a todos pelo feito de chegarmos a esta fase mas vamos traçar novos e mais ambiciosos objectivos...
Ricardo Brito
Parciais: 12-16; 13-09; 14-32; 16-16
Marcha: 12-16; 25-25; 39-57; 55-73.

Galitos: Luís Pina (6), Hugo Verde, Henrique Romão, João Tavares (2), João Padilha (29), Dikilson Neto (4), Jorge Anjos (6), Elizer Bunga, Francisco Cacho (4), Reynaldo Morales e Bruno Fartura (28).

8ª Jornada: Desp. Póvoa 88 – Galitos 71

Derrota justa

Fomos para este jogo com dois objectivos claros: ganhar ou em alternativa perder por menos de onze. Não conseguimos alcançar nenhum. Tivemos pela frente um fortíssimo adversário que nos foi superior em todos os aspectos. Não temos que ter receio em assumir as nossas derrotas. O Desportivo da Póvoa foi melhor e justificou a vitória. Estão de parabéns por isso. Estamos e pusemo-nos nesta luta com mérito e por direito próprio. Não seremos nós a desistir.
Sabíamos que teríamos que fazer um jogo quase perfeito para levar de vencido o nosso adversário. Na 1ª volta tínhamos conseguido contrariar o seu poderio físico. Tal facto, aliado a uma grande eficácia no ataque, fez com que tivéssemos vencido, justamente, esse jogo.
Desta vez não controlámos a nossa tabela. Perdemos 19 ressaltos defensivos, aliados a 20 perdas de bola, dão uma clara vantagem no número de posses de bola e no aumentar das hipóteses do adversário converter. Foi o que aconteceu. Sofremos várias situações após dois e três lançamentos. Bem como fomos precipitados em algumas situações de transição, tanto contra Zona Press, quer em situações de vantagem. Paralelamente, o nosso forte jogo exterior demorou 30 minutos a aparecer. Não convertemos nenhum triplo nos primeiros três períodos e os quatro convertidos no último já foram em situações que arriscámos tudo.
Concluindo, vitória justa do Póvoa. Os nossos jogadores deram tudo o que tinham. Se técnica e tacticamente podíamos ter feito melhor, em termos de atitude ela foi, como sempre irrepreensível. Estão de parabéns por tudo o que têm feito e de certo farão.
O grupo deseja as rápidas melhoras ao João Silva e que se junte a nós dentro do campo o mais rápido possível
João Neto
Parciais: 23-15; 21-18; 19-14; 25-24
Marcha: 23-15; 44-33; 63-47; 88-61

Galitos: Diogo Peralta, Gonçalo Pereira, Élio Maia (9), Nuno Gonçalves (10), Ricardo Leite, António Gaioso (20), Hugo Carvalho (6), Rui Oliveira, Rui Puga (11), Carlos Resende (15) e Hugo Soares.

MINIGALITOS – Encontro de Sub-10

No passado Domingo pelas 10h30 da manhã os Sub-10 do Galitos foram realizar um jogo treino em Esgueira.
Esta actividade entre o Esgueira e o Galitos foi diferente dos habituais encontros em que temos participado. Neste jogo disputámos 6 períodos de 7 minutos cada.
Para além disso contou também com o apoio e a participação activa dos pais dos atletas, na realização de algumas actividades físicas: acompanhando os seus filhos em competições de estafetas e em concursos de lançamento na passada com competição.
André Patarrana
Galitos: Rui Ribeiro, Simão Verde; Tiago Sá; João Afonso; Teresa; David; Martim Rui; Alexandre Wilson; Ana Carolina e André Filipe.

2ª Jornada: Beira-Mar 59 – Galitos B 36

Galitos volta a perder

Depois da derrota na 1ª jornada o Galitos deslocou-se ao pavilhão do Beira-Mar com o objectivo de averbar a 1ª vitória nesta nova fase.
Tal não aconteceu, acabando por sair derrotada. A verdade é que só a espaços demonstrámos vontade e empenho em vencer o jogo.
Perante um Beira-Mar organizado e com os atletas esclarecidos nas suas acções ofensivas a equipa galinácea demonstrou ao longo do jogo uma enorme apatia. A perda de bolas na saída para o ataque, a falta de empenho em lutar pelas bolas perdidas e a permissividade junto da tabela defensiva foram factores preponderantes para o desfecho do jogo.
Os ainda jovens atletas do Galitos têm ainda muito caminho a percorrer. É necessário continuar a trabalhar pois só assim os resultados do esforço e dedicação irão aparecer.
Bruno Fangueiro
Parciais: 17-08; 18-13; 14-09; 10-06;
Marcha: 17-08; 35-21; 49-30; 59-36;

Galitos: Miguel Pina (5); João Lamas (11); Francisco Pinheiro; Pedro Mealha (4); João Daniel (6), Manuel Santos (4); Frederico Sá; Guilherme Gonçalves (2) e Hugo Rangel (2).

O ressalto é um aspecto muito importante no basquetebol porque permite realizar segundas oportunidades de lançamento – ressalto ofensivo e permite recuperar a bola de forma rápida para sair em contra-ataque – ressalto defensivo.
Melhora a tua capacidade ressaltadora com as regras e as sugestões propostas por um dos melhores executantes deste gesto técnico da NBA, Dwight Howard dos Orlando Magic, que é também um dos elementos que venceu a medalha de ouro olímpica na ultima edição dos jogos na China.

Ressalto por Dwight Howard


TreinadoresGalitos: Quantos anos tens de prática de basquetebol?
Luís Sousa (Cadetes A): Este é o meu quarto ano de basquetebol.

TreinadoresGalitos: Quais as razões que te fizeram começar a jogar basquetebol? E porquê no Clube dos Galitos?
Luís Sousa: Nenhuma razão em especial, perguntaram-me se queria experimentar, eu aceitei e gostei. Vim para os Galitos porque tinha uns amigos que jogavam cá, mais tarde saíram e eu fiquei com os meus novos amigos.

TreinadoresGalitos: Consegues conciliar o basquetebol com os estudos?
Luís Sousa: Sim, o facto de estar no secundário, não me causa grandes constrangimentos no que diz respeito a estudos com treinos ou jogos, como causa a muitos colegas.

TreinadoresGalitos: De toda a tua experiência no basquetebol e no Galitos, quais os momentos mais marcantes, pela positiva e pela negativa?
Luís Sousa: Pela positiva, sem dúvida, foi ter participado na final 6 de Iniciados à dois anos, em que ficamos em segundo; pela negativa nenhum muito marcante, sendo que sempre que perco um jogo marca-me pela negativa, mas ajuda-me a crescer, a ver de modo diferente e a “saltar”esses pequenos problemas.

TreinadoresGalitos: Quais os teus objectivos pessoais no basquetebol? E para a tua equipa?
Luís Sousa: Para mim, o objectivo é evoluir como jogador e pessoa, para a minha equipa talvez fazer a melhor classificação possível no nacional.

TreinadoresGalitos: Tens algum modelo? Qual o exemplo que gostarias de seguir?
Luís Sousa: Não.

TreinadoresGalitos: O que esperas conseguir esta temporada no Galitos?
Luís Sousa: Como já disse, evoluir e talvez estar em melhor forma do que no ano anterior.

TreinadoresGalitos:
Como caracterizas o ambiente na tua equipa e no Clube.
Luís Sousa: È tão bom, que se pode dizer, é… impecável.

TreinadoresGalitos: Costumas visitar o Blog Treinadores.Galitos? Qual a tua opinião sobre a sua utilidade.
Luís Sousa: Sim, utilizo muito o blog e acho que foi uma óptima ideia pois podemos estar sempre informados do que se passa no Galitos e aprender alguma coisa com as crónicas.

TreinadoresGalitos: Deixa uma mensagem para os colegas a tua equipa.
Luís Sousa: Se trabalharmos com confiança, vontade e empenho, ainda conseguiremos fazer maravilhas.

Basquetebol é simplicidade. Procura sempre a solução mais simples, pois será a melhor decisão. O jogo oferece-nos uma variedade de recursos para resolver as situações que se nos deparam. Levanta a cabeça e observa qual é a mais simples. De certeza que não te enganas.

Jorge Garbajosa
(Internacional Espanhol)

4ª Jornada: Galitos 41 - Anadia (Sub-16) 46

Intervalo nem sempre faz bem!

Depois de um 1º período com pouca intensidade de ambas as equipas e a perder por 5 pontos (o que não é nada significativo nesta nossa modalidade), aumentámos o ritmo de jogo, obrigando a equipa do Anadia a correr e a lutar pela vitória em nossa casa, obtendo um parcial de 11-7. Fomos para o intervalo a perder por apenas um ponto.
Com um intervalo talvez muito agitado a nossa equipa perdeu a concentração total, deixando de recuperar defensivamente e deixando o adversário fazer o que queria em termos ofensivos, acabando o 3º período a perder por 8 pontos.
Restavam-nos 10 minutos para tentar recuperar. Mas com o nosso ritmo de jogo completamente quebrado, não tivemos forças, nem descernimento para ir buscar o jogo acabando por perder!
Andreia Migueis
Parciais: 7-12; 11-07; 08-15; 15-12
Marcha: 7-12; 18-19; 26-34; 41-46

Galitos: Andrea Silva, Joana Carvalho, Renata Santos (16), Raquel Lamas, Diana Marques (8), Sara Souto (2), Mª João Vasconcelos (2), Beatriz Beer, Inês Vieira, Jéssica Miranda e Lia Delgado (13).

5ª Jornada: GICA 58 – Galitos 46

Melhor entrada da época não chegou para ganhar!

Com uma motivação que nunca tinham mostrado antes e com uma garra ainda maior, tudo nos corria melhor que nunca. Com uma defensa bastante agressiva, recuperámos bastantes bolas, saindo muito em contra-ataque e com bastante eficácia conseguimos chegar ao intervalo a ganhar por 9 pontos.
Mas bastou uma entrada menos boa e uma recuperação de 7 pontos do adversário para que se começasse a perder o jogo! De um super jogo da nossa equipa, passou a ser um encontro cheio de nervos, com várias situações criadas pelo facto de não ter juízes nomeados que destabilizaram toda a gente, principalmente as nossas atletas que se estavam a sentir injustiçadas acabando por ficar sem vontade, nem conseguindo jogar face ao que se estava a passar no recinto de jogo.
No fim do jogo o treinador da equipa adversária assumiu que algumas situações não foram muito correctas o que acabou por ser um acto de desportivismo.
Andreia Migueis
Parciais: 13-18; 11-15; 22-09; 12-05
Marcha: 13-18; 24-33; 46-41; 58-46

Galitos: Sara Figueiredo, Melanie Costa (1), Renata Santos (18), Raquel Lamas, Diana Marques (2), Sara Souto, Mª João Vasconcelos (1), Beatriz Beer (16), Inês Vieira (2) e Lia Delgado (6).

2ª Jornada: Galitos 45 - GICA 62

Mau começo provoca sofrimento até fim do jogo!

Quando se melhora o que está mal, esse aspecto já não deve voltar a ser um problema para a equipa. Depois de termos conseguido entrar bem no jogo passado não devemos voltar ao mesmo, ou seja entrar no jogo muito desconcentradas.
Entrámos bastante mal, levando um parcial de 4-16. Não recuperávamos defensivamente e não bloqueávamos defensivamente, dando ao adversário segundas e terceiras oportunidades de lançamento. A partir do 2º período acordámos sendo os restantes três períodos todos equilibrados!
Mais uma vez está provado que temos de estar concentradas desde que entramos em campo e não acordar só a meio do jogo, pois muitas vezes torna-se tarde de mais!
Andreia Migueis
Parciais: 4-16; 12-13; 18-18; 15-15
Marcha: 4-16; 16-29; 30-47; 45-62

Galitos: Sara Correia (4), Renata Santos (25), Sara Souto (3), Andrea Silva (2), Joana Carvalho, Melanie Costa, Maria Vasconcelos (3), Beatriz Beer (1), Inês Vieira, Jéssica Miranda (2) e Lia Delgado (5).

MINIGALITOS – Encontro de Sub-10

Sub-10 participam em encontro em Oliveira do Bairro
Realizou-se no Domingo à tarde, dia 8 de Março mais um encontro de Minis Sub-10, desta vez em Oliveira do Bairro.
As 8 equipas participantes foram: Galitos, Beira-Mar A e B, Gafanha, Atómicos Feminino e Masculino, Gica e a Sanjoanense.
André Patarrana
Galitos: Rui Ribeiro, João Afonso, André Filipe, Martim Rui, João Gavaia e Tiago Sá.

MINIGALITOS – 3ª Jornada de Sub-8

Encontro de Sub-8 no pavilhão do Galitos

Nesta 3ª jornada coube ao MiniGalitos a organização do encontro. A falta de comparência de uma das equipas fez com que fossem alterados os jogos previstos, nada que não fosse rapidamente resolvido. Os monitores das equipas participantes bem como outros intervenientes do evento, ajudaram na arbitragem dos diferentes jogos e fica aqui um agradecimento por parte do MiniGalitos a todos quantos ajudaram a animar esta festa.
Soraia Magalhães

Galitos: David Gil, Duarte Ferreira, João Capela, Manuel Conceição, Martim Santos, Miguel Lima, Rafael Rolo e Sérgio Ferreira.

Passe

Apesar do lançamento ao cesto ser a essência do jogo, no basquetebol, tal como em todos os desportos colectivos o passe assume particular importância.
Esta é uma técnica muitas vezes desvalorizada pelos jogadores que não a devida importância ao seu treino e aperfeiçoamento.
Um jogador que passe a bola com qualidade consegue que os seus colegas sejam melhores jogadores, criando boas situações de lançamento, colocando a bola no sítio certo, no momento exacto não criando assim dificuldades acrescidas ao receptor.
Nada melhor para cada equipa que os seus jogadores sejam bons passadores.
Apesar da exuberância de alguns dos lances protagonizados neste vídeo pelo Steve Nash, um dos melhores executantes desta técnica na NBA, todos nós podemos executar de forma simples passes de qualidade que parece que tornam melhores jogadores os nossos colegas de equipa.





TreinadoresGalitos: Quantos anos tens de prática de basquetebol?
Rodolfo Santos (Cadetes B): Quase 3 anos.

TreinadoresGalitos: Quais as razões que te fizeram começar a jogar no Galitos?
Rodolfo Santos: Sempre achei o basquetebol um desporto interessante e também precisava de crescer mais um bocado, então experimentei e gostei. Comecei nos Galitos porque fui abordado por um dos meus colegas que me indicou que era um bom clube.

TreinadoresGalitos: Consegues conciliar o basquetebol com os estudos?
Rodolfo Santos: Nem sempre consigo conciliar, ás vezes é difícil…Nos anos anteriores conciliava mais ou menos, este ano não consigo muito bem.

TreinadoresGalitos: De toda a tua experiência no basquetebol, qual o momento mais marcante?
Rodolfo Santos: O meu momento mais marcante foi quando fiz o meu primeiro jogo.

TreinadoresGalitos: Quais os teus objectivos pessoais no basquetebol?
Rodolfo Santos: Fazer uma boa época, divertir-me e manter as minhas amizades.

TreinadoresGalitos: Tens algum modelo? Qual o exemplo que gostarias de seguir?
Rodolfo Santos: Neste momento não.

TreinadoresGalitos: O que esperas conseguir esta temporada no Galitos?
Rodolfo Santos: O meu objectivo principalmente no basquetebol é divertir-me.

TreinadoresGalitos: Uma mensagem para a tua equipa.
Rodolfo Santos: Ninguém nos Vence, se tivermos Unidos.

A melhor vitória, a mais segura, a que prepara futuros sucessos, fundamenta-se no conceito de equipa: educado, organizado e preparado para que cada um actue da melhor maneira possível.
James Naismith
Professor que criou o basquetebol

;;
Galitos Basquetebol - Original Posting Rounders 3 Column | Design: Douglas Bowman | Modification: Ricardo Brito/João Cura