P A T R O C I N A D O R E S

Balanço da 1ª fase do Campeonato Distrital

Correspondendo esta época, ao meu segundo ano de Iniciados, a minha expectativa e objectivos são grandes, dado que a equipa A da época anterior, para além de ser Campeã Distrital, é Vice Campeã Nacional, e obviamente gostava de igualar essas marcas.

É verdade que não contamos com alguns jogadores influentes, como os da época passada, mas temos uma equipa onde muitos atletas já têm alguns anos de basket, e muita força de vontade para superar os diversos obstáculos.

Não me devo esquecer a ajuda e a experiência do nosso treinador Luís Araújo, que muito nos tem ajudado a evoluir.

Na primeira fase do Campeonato defrontámos algumas equipas com atletas menos experientes, o que nos permitiu, com a entrega a que fomos habituados, a disputar os jogos até ao fim, com o maior respeito e a obter resultados interessantes.

No último jogo da primeira fase, defrontámos a Sanjoanense, em casa, onde saímos infelizmente derrotados. Creio que estão numa fase mais adiantada do que nós, mas a forma como temos trabalhado, inspira-me confiança, acreditando que podemos ir mais longe.

Recordo-me que na época 2004/2005, defrontámos esta equipa na final do Torneio de Minibasquete da ABA e conseguimos ser superiores.

Se todos quisermos, e se continuarmos a trabalhar, podemos trazer grandes alegrias, para o Clube.


João Pedro Lemos

3ª JORNADA DE SUB 8 - 3X3
NASCIDOS EM: 2000 E 2001


LOCAL: PAVILHÃO DAS TRAVESSAS – SÃO JOÃO DA MADEIRA
DIA: 02 DE DEZEMBRO (DOMINGO - MANHÃ)
HORA DA CONCENTRAÇÃO (PAVILHÃO DO GALITOS): 09.00 HORAS
INICIO DOS JOGOS: 10.00 HORAS

3ª JORNADA DE SUB 12 - 4X4
NASCIDOS EM: 1996, 1997 (1998)

LOCAL: PAVILHÃO DO GD GAFANHA
DIA: 02 DE DEZEMBRO (DOMINGO - MANHÃ)
HORA DA CONCENTRAÇÃO (PAVILHÃO DO GAFANHA): 10.00 HORAS
INICIO DOS JOGOS: 10.30 HORAS



“Passo a passo, não concebo outra maneira para alcançar os objectivos.”
MICHAEL JORDAN."

Galitos 86 Vale Cambra 24

Galitos conquista vitória tranquila e natural tal a diferença entre as duas equipas.
Apesar de termos estado a perder por 4XO, uma boa atitude e empenho rapidamente marcou a diferença e o desfecho final do jogo como atestam os parciais dos 4 períodos.
Refira-se ainda que todos os atletas contribuiram com pontos.
Avizinham-se jogos com um grau de dificuldade maior e que à que manter a atitude para que se possam alcançar os objectivos estabelecidos

1º Período 23-9; 2º Período 18-5; 3º Período 24-5 e 4º Período 21-5

Pelo Galitos alinharam: Fábio Freire (2), Yuri Paulo (7), João Samico (4), Pedro Pereira (8), Nuno Gonçalves (8), Ricardo Leite (8), Pedro Gaioso (14), Hugo Carvalho (5), Luís OLiveira (4), Élio Maia (12), Carlos Resende (8) e David Ferreira (6).


“A arte de passar, possivelmente, é a menos apreciada pelos jogadores mas é a mais apreciada por mim; um bom passador é tão importante como um bom lançador pois um bom passe é sinónimo de um lançamento convertido.”
BOZIDAR MALJKOVIC

O treinador Ricardo Brito deslocou-se a Paredes na passada 5ª feira para acompanhar o trabalho do atleta Ricardo Mota do Galitos.
Aproveitou para se reunir com os seleccionadores para trocar impressões sobre o desempenho do atleta, no clube e na selecção. Jantou ainda com toda a comitiva da selecção e assistiu ao jogo contra o Académico do Porto.
Manifestou ainda toda a disponibilidade para cooperar com o Centro de Treino sempre que estes entendam necessário e recebeu da parte destes total receptividade.

http://cntparedes.blogspot.com/2007/11/ricardo-brito-clube-dos-galitos-marcou.html


O difícil não é subir, mas, ao subir, continuarmos a ser quem somos.
Jules Michelet


Treinadores Galitos: Desde que idade jogas basquetebol?
David: Jogo basquetebol desde os 5 anos de idade, tendo parado aos 6 e recomeçado novamente aos 7. Desde os 7 anos até agora nunca mais interrompi a prática.

Treinadores Galitos: Já praticaste outros desportos? Porque escolheste esta modalidade?
David: Não, o basquetebol foi o meu primeiro desporto, talvez por isso mesmo o meu predilecto e o escolhido para continuar.

Treinadores Galitos: O que te trouxe para o Galitos?
David: Sempre joguei no Illiabum até aos 15 anos. Nessa altura achei que me ia fazer bem mudar de "ares", mudar de equipa. Quando tive oportunidade, informei-me acerca do Galitos, as respostas foram muito positivas, decidi mudar e até agora acho que fiz uma boa opção.

Treinadores Galitos: Tentas seguir o exemplo de alguém na modalidade?
David: Não sigo ninguém em especial, tento apenas fazer o que sei e aprender para ser cada vez melhor.

Treinadores Galitos: Como fazes para conciliar o basquetebol com os estudos?
David: Como os meus pais me dizem, tenho tempo para tudo, tempo para estudar, tempo para praticar basquetebol, tempo para me divertir. Claro que é preciso esforço, pois não é fácil conciliar, ainda por cima com exames, mas com esforço tudo se consegue!

Treinadores Galitos: Quais os teus objectivos na modalidade?
David: Chegar o mais alto possível, isto é, esforçar-me para chegar um dia à selecção nacional.

Treinadores Galitos: O que esperas alcançar esta temporada, individual e colectivamente?
David: Espero alcançar o objectivo proposto pelos jogadores e pelos treinadores, chegar a fase final distrital. Em termos individuais, contribuir e esforçar-me em prol da equipa.

Treinadores Galitos: Qual o momento que mais te marcou, pela positiva e pela negativa, no teu percurso na modalidade?
David: O momento que mais me marcou pela positiva foi, sem dúvida, a convocatória para o centro nacional de treino em S. João da Madeira, nunca esperei por isso, mas fiquei super feliz. O pior momento foi há alguns anos atrás, quando era iniciado A (mas com idade de iniciado B) fui à fase final distrital com apenas uma derrota e em primeiro lugar e saí de lá com o quarto lugar.


“No basquetebol só há duas possibilidades: sprintar e parar.”
BOZIDAR MALJKOVICH.



"Para além do fomento e da prática das actividades desportivas, o Clube tem obrigações no que respeita ao incentivo do espírito desportivo e ético bem como ao cumprimento dos regulamentos e do fair-play."


Mais um artigo disponivel no link "Documentos técnicos"

Treinadores Galitos: Quando iniciaste a pratica do basquetebol?
André F.: Em Novembro de 2005, vai fazer agora precisamente 2 anos.

Treinadores Galitos: Porque escolheste esta modalidade?
André F.: Porque foi sempre um desporto que me cativou embora nunca tenha tido a vontade necessária para experimentar mais cedo.

Treinadores Galitos: Porquê o clube dos galitos?
André F.: Porque se situa perto do local onde estudo e tinha amigos que jogavam cá.

Treinadores Galitos: Qual o exemplo que gostarias de seguir e porquê?
André F.: Não tenho propriamente um exemplo que se identifique com o jogador que quero ser, mas acho que o Tracy McGrady é o que melhor se enquadra como jogador modelo, pois é a prova que um bom jogador pode jogar em qualquer posição. Tanto afunda na “cara” dos oponentes como marca triplos sobre pressão.

Treinadores Galitos: Consegues conciliar o basquetebol com os estudos?
André F.: Neste momento consigo facilmente, acho que é tudo uma questão de definir prioridades.

Treinadores Galitos: Quais as ambições para ti e para a tua equipa esta época?
André F.: Acho que a partir do momento que funcionarmos em equipa podemos ir muito longe. Depois do campeonato regional gostaria de fazer um bom percurso no nacional.

Treinadores Galitos: Qual o momento mais marcante no teu percurso desportivo?
André F.: Foi quando a minha evolução foi reconhecida nos cadetes B e fui jogar pelos cadetes A.

Treinadores Galitos: Que mensagem gostarias de deixar aos teus colegas de equipa?
André F.: Gostei particularmente de uma frase do blog dos treinadores que é “O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário. “



“A defesa, contrariamente, ao ataque pode ser um elemento homogéneo sem necessariamente ser um compêndio de perfeição técnica. O fundamental na defesa é a motivação, a coesão do grupo de trabalho e a mentalidade dos jogadores que serve para criar uma grande união em torno dos objectivos.”
ETTORE MESSINA



Aproveitando a paragem em todos os Campeonatos Regionais e Nacionais, todos os treinadores do Galitos participaram no V Clinic Internacional da Associação de Basquetebol do Porto que se realizou na Póvoa do Varzim.
Desta forma, tivemos oportunidade de assistir a intervenções de grande qualidade proferidas por treinadores de reconhecidos méritos: Bozidar Maljkovic, Evaristo Pérez e a Equipa Técnica Nacional (Valentyn Melnychuck, Orlando Simões e Rui Alves).
As preleções versaram os seguintes temas: técnica individual defensiva e ofensiva e os processos utilizados pela Selecção Nacional no Eurobasket 07.



“Se no final de um jogo ou de um treino não te encontras cansado muito provavelmente não defendeste, não jogaste sem bola, não mudaste de ritmo e de velocidade e isto é péssimo para melhorares do ponto de vista técnico, físico e psicológico.”
JGA

75 Anos da 
Associação de Basquetebol de Aveiro

Lançamento do livro

HISTÓRIA DO BASQUETEBOL AVEIRENSE

de João Cura e Pedro Cura

Nesta obra retratam o aparecimento do basquetebol no Distrito e a fundação da Associação de Basquetebol de Aveiro, os primeiros jogos disputados e os clubes que se sagraram Campeões Regionais e Nacionais, em todos os escalões etários ao longo dos 75 anos de existência da modalidade em Aveiro.
Para além disso é feita referência a todos os clubes que se dedicaram à modalidade e é apresentada uma breve história sobre o aparecimento do basquetebol em cada um deles até à década de sessenta.
É ainda feita uma resenha das 28 edições do torneio Santa Joana e as classificações de todas as selecções distritais.
A apresentação deste livro acontece no dia 23 de Novembro, no Centro de Congressos de Aveiro, às 20h30, antecedendo a Gala da Associação de Basquetebol de Aveiro que tem lugar no mesmo dia e o local a partir da 21h30.


Curiosidades que ressaltam deste trabalho:

Clubes fundadores da Associação de Basquetebol de Aveiro- Internacional Atlético Clube
- Clube dos Galitos
- Sport Clube Beira-Mar

Clubes que disputaram o 1º Campeonato Regional de Aveiro em 1932/33- Cinco Escolar do Liceu José Estêvão (1º campeão regional)
- Internacional Atlético Clube
- Clube dos Galitos
- Associação Desportiva Ovarense
- Recreio Desportivo de Águeda
- Núcleo Nº 9 da Fraternidade Militar

Clube com mais títulos regionais no sector masculino – Clube dos Galitos (59)
Clube com mais títulos regionais de seniores masculinos – Sangalhos Desporto Clube (21)
1º campeão regional de juniores masculinos – União Desportiva Oliveirense (1944/45)
Clube mais títulos regionais no sector feminino – Clube do Povo de Esgueira (29)
1º campeão regional seniores femininos – Associação Desportiva Sanjoanense (1967/68)
1º campeão regional de juniores femininos – Clube do Povo de Esgueira (1977/78)

Clube com mais títulos regionais de juniores femininos – Anadia Futebol Clube (10)
1ºs campeões nacionais de formação e seniores masculinos – Illiabum Clube (1962/63 e 63/64)
1º campeão nacional seniores femininos – Sangalhos Desporto Clube (1973/74)
1º campeão nacional da formação – Anadia Futebol Clube (1992/93)
Clube com mais títulos nacionais – Associação Desportiva Ovarense


Ninguém é maior do que aquele que está disposto a que lhe assinalem os seus erros.

Dave Barry

Realiza-se no próximo dia 23 de Novembro a Gala dos 75 anos da Associação de Basquetebol de Aveiro.
Nesta Gala irão ser distinguidas as nossas equipas de Iniciados e de Juniores A que se sagraram Campeãs Distritais na época de 06/07 e a equipas de Cadetes que ficou em 4º lugar no Campeonato Distrital.
Para além destas equipas, irão ser galardoados os atletas do Galitos Mattew Moreira e Vasco Quintino pela conquista do Campenato Inter-Selecções de Iniciados em representação da Associação de Basquetebol de Aveiro.
O Clube dos Galitos também vai ser distinguido uma vez que foi um dos clubes fundadores da Associação de Basquetebol de Aveiro, comemorando tambem nesta data os 75 anos da Secção de Basquetebol.

A todos, o TreinadoresGalitos endereça os seus parabéns.


"Devemos ter sempre presente que a conduta do treinador acaba por constituir um modelo positivo ou negativo que os jogadores observam, avaliam e adoptam."
Mais um artigo disponivel no link "Documentos técnicos"



“É preciso ter iniciativa, agir, mesmo sabendo que às vezes não vamos acertar. Os erros servem para nos tornarmos melhores, desde que os saibamos aceitar da maneira mais acertada.”
JOHN WOODEN.

"No passado Domingo, 18 de Outubro de 2007, realizou-se a 3.º jornada de minibasquete no escalão de sub-10, no pavilhão do Galitos.
Catorze equipas do distrito estiveram presentes, defrontando-se em jogos sucessivos. As equipas presentes foram o GALITOS/Royal School/Ergovisão (2), Vale de Cambra (2), Illiabum (2), Vagos (2), Ovarense (2), Oliveirense, Sanjoanense, Brandoense e Gafanha.
Foram utilizados 4 campos no interior do pavilhão, 2 deles destinados a equipas masculinas e 2 destinados a equipas mistas.
No exterior tínhamos disponível mais um campo com 4 tabelas e um insuflável para manter ocupadas as equipas que não estavam em competição.
Por fim, queremos agradecer mais uma vez a presença dos pais, assim como, aos monitores que em muito têm ajudado o Minigalitos a crescer."

Paulo Quina

Treinadores Galitos: Quantos anos tens de prática de basquetebol?
Pedro Santos: Comecei sensivelmente em 1999 mas ainda de forma pouco regular porque tinha ainda 5 anos.

Treinadores Galitos: Quais as razões que te fizeram escolher o Galitos?
Pedro Santos: Naquela idade escolhi o “Galitos” porque simpatizava com o vermelho e por isso não pensei duas vezes.

Treinadores Galitos: Consegues conciliar o basquetebol com os estudos?
Pedro Santos: Sim é fácil, o horário na minha escola é bom o que me dá tempo para as duas coisas. É bom para mim porque adoro este desporto.

Treinadores Galitos: De toda a tua experiência no basquetebol, qual o momento mais marcante?
Pedro Santos: É difícil escolher um, foram todos os torneios que ganhei, porque ganhar é espectacular. Em “mini” o momento mais marcante foi levantar a taça de primeiro lugar em “Lloret de mar” em 2004 . Mas não me posso esquecer da época 06/07 onde fui à fase final em iniciados que foi uma experiência incrível.

Treinadores Galitos: Quais os teus objectivos pessoais no basquetebol?
Pedro Santos: Os meus objectivos são ajudar a equipa e não deixar ficar mal o clube o que é muito importante para mim.

Treinadores Galitos: Qual o exemplo que gostarias de seguir?
Pedro Santos: Não sei porque não há nenhum em especial.

Treinadores Galitos: O que esperas conseguir esta temporada no Galitos?
Pedro Santos: Se possível ganhar tudo, acho que temos equipa para ir longe e porque não ganhar o nacional ???

Treinadores Galitos: Uma mensagem para a tua equipa.
Pedro Santos: Sejam uma verdadeira equipa, tenham atitude, joguem com amor a camisola sem nunca esquecer que representamos um grande Clube e somos uma bela equipa (jogadores, treinadores, seccionistas não esquecendo do sexto jogador, os pais). Vamos continuar a trabalhar porque temos futuro.



“Um bom lançador faz-se com uma boa técnica mas sobretudo com a repetição. Um bom músico ensaia todos os dias.”
JGA.

Galitos 74 Oliveirense 71

“A nossa equipa conquistou a sexta vitória em seis jogos, numa partida com quatro períodos de domínio alternado.
Quando no final do primeiro período conquistámos 16 pontos de vantagem (26-10), a equipa adversária mudou a defesa, passando de zona para individual e rapidamente começa a mostrar a sua qualidade. Apesar disso chegámos ao intervalo com 42-29 a nosso favor.
No 3º período assistiu-se a uma grande reacção por parte da Oliveirense que com mérito consegue inclusive acabar a ganhar por um ponto. Não fomos colectivos na defesa e não nos organizámos ofensivamente.
No quarto período voltámos a defender com mais qualidade conseguindo voltar para a frente do marcador, ficando a cerca de 2 minutos do final com dez pontos de vantagem (70-60). Mais uma vez a Oliveirense reage, falhando sobre a buzina um lançamento longo que empataria o jogo. Parabéns à Oliveirense pela sua prestação, mostrou jogadores e equipa com valor. Mesmo não jogando bem, mérito do adversário, mantemo-nos em primeiro lugar num campeonato extremamente competitivo."
Joao Neto
Alinharam pelo Galitos - Patarrana , Nuno (12), Marco Pinto (1), Rui Castro , Pedrão (14), Alex (29), Gaioso (7), Jaime , Luis Mendes , Luis Ferreira (2), Carlos (9)

Marcha do marcador: 26-10; 42-29; 52-53; 74-71

Galitos 106 – Esgueira 9

Realizou-se, no passado Domingo, com o Esgueira, o último jogo da 1ª fase do Campeonato Regional de Iniciados B.
Foi um jogo bastante desequilibrado, perante uma equipa ainda jovem, mas tal facto nunca levou a equipa do Galitos a menosprezar o adversário, respeitando-o sempre e dando o seu melhor para valorizar o Clube dos Galitos.
Embora tenha entrado desconcentrada, falhando excessivos lançamentos fáceis, o Galitos durante o 1º período corrigiu esse facto acabando a vencer por 17 – 4.
No 2º período a equipa entrou muito bem, defendeu melhor e saiu de forma mais natural para o contra-ataque, o que permitiu realizar um parcial de 26 – 0.
Na 2ª parte a equipa manteve-se coesa e fruto das rápidas saídas para o contra-ataque conseguiu aumentar a vantagem, 69 – 6 no final do 3º período.
No ultimo período movidos pela ânsia de chegar aos 100 pontos os atletas do Galitos, condicionaram as acções ofensivas do Esgueira, obrigando-os a fazer maus passes, aproveitando para marcar em contra-ataque e assim realizar no ultimo período um parcial de 37 – 3.

Marcha do Marcador: 1º Período: 17 – 4; 2º Período: 26 – 0; 3º Período: 26 – 2 e 4º Período: 37 – 3;

Alinharam pelo Galitos: Rodolfo (17); Hugo Verde (18); Luís Pina (6); Tiago (8); Francisco Cacho (4); Bruno Henriques (14); João Frade; Jorge Paula (9) e Bruno Fartura (30).



“Quando faço lançamentos livres tento situar-me, mentalmente, num lugar familiar. Penso nas muitas ocasiões que realizei lançamentos livres nos treinos, executo os mesmos movimentos e utilizo a mesma técnica sempre.”
MICHAEL JORDAN.

Galitos 50 Sanjoanense 80

“Depois de vitórias expressivas o Galitos perdeu o seu primeiro jogo contra um adversário que revelou mais argumentos.
A Sanjoanense mostrou uma defesa muito agressiva que nos condicionou bastante, permitindo-lhes sair de forma mais rápida para o ataque, forçando-nos perdas de bola e uma baixa percentagem de lançamentos.
Face a esta oposição entramos menos bem (9 – 23, 1º período), mas ao longo do jogo fomos conseguindo mostrar melhor atitude revelando mais agressividade e pressionando o adversário, apesar de não termos conseguido baixar a diferença pontual e revelando dificuldades em finalizar nas áreas próximas docesto.
Este jogo revelou aquelas que são algumas das nossas lacunas e onde deveremos incidir o nosso trabalho no futuro, pois deixou a imagem que temos vontade de trabalhar e melhorar, além de que temos margem para continuar a nossa progressão ao longo da temporada. Com a humildade que demonstramos e a vontade, que sabemos que temos, iremos sem dúvida melhorar.”
Luís Araújo

Parciais: 1º Período 9 – 23; 2º Período 15 – 22; 3ºPeríodo 10 – 17 2 4º Período 16 – 18;

Pelo Galitos alinharam: Pedro Seabra (5), Gonçalo Catarino, Pedro Godinho, Tomás (4), Carvalho (0), Padilha (13), João Lemos (10), João Azoía (4), João Carlos, Pedro Santos (12) e Alexandre.

8ª Jornada:
Oliveirense 93 Galitos 46

“Na 1ª jornada da 2ª volta do campeonato regional de Juniores B, em Oliveira de Azeméis, o Galitos não conseguiu contrariar o maior favoritismo da equipa da casa perdendo por margem dilatada.
Depois de uma boa sequência de jogos, a equipa acusou em demasia o facto de jogar em casa do 1º classificado. Entrou extremamente apática, permitindo que a equipa da casa jogasse sem qualquer oposição. Com esta má entrada em jogo da equipa do Galitos, a Oliveirense resolveu o encontro logo no 1º período.
A partir daqui a equipa tentou reagir como pode, mas os índices de confiança e de motivação estavam demasiado baixos para dar a volta ao sentido do jogo. Apesar disso conseguimos colocar algum equilíbrio no marcador durante a 2ª parte. Refira-se ainda que todos s atletas do Galitos concretizaram pontos.
Um acidente de percurso que não vai, com certeza, desviar a equipa dos seus objectivos. Nos próximos treinos e jogos é necessário retomar o caminho que vínhamos trilhando para concretizarmos as nossas metas.”
João Cura

Parciais: 1º Período 38-4; 2º Período 20-15; 3º Período 22-14 e 4º Período13-13
Marcha do Marcador: 38-4; 58-19; 80-33; 93-46.

Alinharam peloGalitos: André Santos (8), Pedro Ribeiro (2), Filipe Lopes (13), Gonçalo Pacheco (2), Edward Moreira (4), Frederico Moreira (2), Alexandre Brandão (2), David Ferreira (2), Hugo Soares (2), João Almeida (1), Élio Maia (6) e João Afonso (2).

Vale Cambra 51 Galitos 48

“A equipa de cadetes do Galitos jogou esta tarde a 9ª jornada (última da 1ª volta), saindo derrotada por 3 pontos, averbando assim a sua 2ª derrota.
Desde cedo se percebeu que a equipa adversária estava muito empenhada em ganhar este jogo pois nos seus dois encontros anteriores tinha equilibrado as suas partidas.
A equipa do Galitos nunca conseguiu contrariar a equipa adversária apesar de ao intervalo estar a ganhar por 5 pontos.
Ao contrário do que vem sendo hábito nos jogos em que não entramos bem, a melhoria da nossa atitude no desenrolar do jogo tem permitido contrariar o adversário o que desta vez não veio a acontecer pois cometeram-se demasiados erros defensivos e ofensivos e que foram sempre aproveitados pela equipa adversaria que jogou de uma forma muito mais empenhada.
Foi uma derrota justa com uma equipa teoricamente inferior mas que lutou muito para levar de vencida a equipa do Galitos.”
Ricardo Brito
Marcha do marcador:1º Periodo 10-12; 2º Periodo 13-6; 3º Periodo 13-17; 4º Periodo 12-16
Alinharam: Rui, Gustavo, André F. (6), Matthew (10), Mota (13), Lopes, Diogo (8), obo, Simao (4), Bruno, Folque, Vasco (8)


Nada de desgosto nem de desânimo; se acabas de fracassar, recomeça.
Marco Aurélio

Treinadores Galitos: Quando iniciaste a prática do basquetebol?
Pedrão: Não tenho bem a certeza, mas penso que tenha sido á cerca de 9 anos.

Treinadores Galitos: Porque escolheste esta modalidade?
Pedrão: Escolhi-a porque basicamente era gordo e alto para a minha idade, e passava o dia em casa, então a minha mãe pôs-me a fazer exercício físico e optei pelo basquetebol.

Treinadores Galitos: Porquê o clube dos Galitos?
Pedrão: Porque era o mais perto da minha casa, assim tornava-se mais fácil para mim ir para os treinos.

Treinadores Galitos: Qual o exemplo que gostarias de seguir e porquê?
Pedrão: Não tenho nenhum exemplo concreto no que se refere ao mundo do basquetebol, embora para todo e qualquer praticante de um qualquer desporto, queira ser sempre como o melhor, logo diria Michael Jordan. Porque foi o melhor dos melhores e conseguiu elevar este desporto a outro nível.

Treinadores Galitos: Consegues conciliar o basquetebol com os estudos?
Pedrão: Sempre consegui, penso e sei que poderia dar muito mais em termos académicos e basquetebolisticos, mas tal como um colega meu referiu (Luís) sou preguiçoso e é esse o meu maior defeito.

Treinadores Galitos: Quais as ambições para ti e para a tua equipa esta época?
Pedrão: Nos seniores, chegar a CNB1.
Em Juniores A, ser campeão distrital e passar ao nacional, repetindo o feito do ano passado.
Em ambas as situações, contribuir para o máximo nesses objectivos. Em termos individuais, ser melhor do que o ano passado, e prometo ao Luís, que vou ser menos preguiçoso e ele ainda se vai orgulhar de mim!

Treinadores Galitos: Qual o momento mais marcante no teu percurso desportivo?
Pedrão: Quando integrei o projecto do Centro Nacional de Treino do Porto, foi sem dúvida um grande momento no meu percurso desportivo.

Treinadores Galitos: Como viste a participação da selecção nacional no recente campeonato da Europa?
Pedrão: Muito fraca. Apesar de toda a gente dizer que em 4 jogos conseguir 2 vitorias e 2 derrotas foi bom, não concordo porque para quem viu os jogos, sentiu que Portugal podia ter feito um pouco mais, o treinador também errou em algumas decisões, mas só espero que tal como aconteceu com o Ruby, tenha sido um trampolim para a modalidade em Portugal.

Treinadores Galitos: Que mensagem gostarias de deixar aos teus colegas de equipa?
Pedrão: “Ohh, pequeninooooooooooooooooo ….. !”


As palavras que não são seguidas de factos não servem para nada.
(Demóstenes)


"O treino dos mais jovens acarreta grandes responsabilidades. Não podemos/devemos cair na tentação, na ânsia de ganhar protagonismo e notoriedade de acelerar o processo de ensino/aprendizagem dos mais novos com objectivos imediatos e a curto prazo."
Mais um artigo disponivel no Link "Documentos técnicos"

Treinadores Galitos: Quando iniciaste a pratica do basquetebol?
Folque: Não sei ao certo, mas penso que foi há cerca de 4 anos. Já realizei uma temporada nos Iniciados B, duas nos Iniciados A e este é o meu 4º ano.

Treinadores Galitos: Porque escolheste esta modalidade?
Folque: A minha preferência ao princípio foi o Futebol. Estive no Beira-Mar, mas acabei por me chatear com um Director. Esta situação levou-me a sair do Futebol e a optar por praticar Basquete. Pode ter contribuído para esta decisão o facto do meu pai ter jogado esta modalidade quando tinha a minha idade, mas assim que comecei a jogar e a perceber o jogo de Basquetebol ficou claro na minha cabeça que era aquilo que eu queria.

Treinadores Galitos: Porquê o clube dos galitos?
Folque: Escolhi o Galitos porque era o clube perto de minha casa e era também, de longe, o que oferecia melhores condições. Hoje posso dizer que não troco o Galitos por nada. É lá que tenho os meus colegas, as minhas bolas, os meus balneários…; já é como uma casa!

Treinadores Galitos: Qual o exemplo que gostarias de seguir e porquê?
Folque: Optando por um exemplo mais perto de mim, escolho com certeza o do João Santos. Quando era mais pequeno ia ao Galitos ver a equipa de Juniores A da altura que era onde ele jogava. Ele era incrível e despertou em mim ainda mais interesse pelo Basquete. Lembro-me muitas vezes de ir ao pavilhão de propósito só para o ver jogar. Depois ele começou a jogar no Aveiro Basket e mostrou que era capaz de ser jogador da Liga Profissional. Acabou por ir para a Oliveirense, onde não o podia ver tantas vezes. Hoje em dia é o meu treinador-adjunto! Para surpresa minha, ele começou a treinar a minha equipa de Iniciados A do ano passado juntamente com o Brito, e juntos proporcionaram-me os melhores momentos de Basquete da minha vida. Em pouco tempo, o João ensinou-me muita coisa sobre esta modalidade e tenho orgulho em poder ser treinado por ele. É claro também, que se fosse o exemplo de um treinador, escolhia o Brito, pois foi o mais importante para mim até agora. Tenho pena de não o ter visto jogar muitas vezes.

Treinadores Galitos: Consegues conciliar o basquetebol com os estudos?
Folque: Até agora tenho conseguido conciliar ambas as coisas, mas as actividades escolares estão a tornar-se cada vez mais exigentes, o que leva a que me tenha de esforçar mais. Neste aspecto o Basquete é importante e vantajoso, pois ajuda-me a passar um bom tempo a fazer o que gosto e dá também para espairecer um pouco. Não é difícil conciliar as duas coisas porque o Basquete não nos tira assim muito tempo, logo temos outras alturas onde nos podemos dedicar a escola. Para mim esta modalidade nunca vai ser um entrave para nada.

Treinadores Galitos: Quais as ambições para ti e para a tua equipa esta época?
Folque: Depois da grande e inesquecível época que tive no ano passado, vai ser difícil fazer melhor. Mas o nosso objectivo é mesmo esse, fazer melhor. Em primeiro lugar interessa-nos garantir a realização da fase final distrital em nossa casa, e é para isso que estamos a trabalhar. Depois queremos ganhá-la! Tendo o título distrital garantido é ir jogando jogo a jogo, sempre a dar o máximo, e ir vendo no que dá. Quanto mais longe melhor, e como diz o outro ‘O limite é o céu. ‘

Treinadores Galitos: O que sentiste quando foste convocado para a selecção regional?
Folque: Senti-me muito orgulhoso quando recebi a carta para ir aos treinos da selecção. Vi o meu trabalho reconhecido e depois trabalhei para lá ficar. Acabei por ser o último a sair. Fiquei muito desiludido e, de certo modo triste, mas não deixou de ser uma boa experiência. O que acabou por ser importante foi o facto de no final da época ter sentido que fui importante e que ajudei a minha equipa numa época que nunca vamos esquecer. Isso sim valeu a pena.

Treinadores Galitos: Qual o momento mais marcante no teu percurso desportivo?
Folque: Sem dúvida, a última época, por muitos motivos. A equipa era espectacular e todos os atletas eram amigos uns dos outros. Os treinadores eram novos, mas desde cedo ganharam a nossa confiança e admiração. Tive os treinadores mais importantes até agora. Senti-me, pela primeira vez, jogador de Basquete. Estivemos perto duma época invicta a nível distrital (só não a conseguimos por culpa própria). Fomos pela primeira vez campeões distritais. Continuou tudo a correr bem e apurámo-nos para a Final 6, depois de um grande jogo contra o Gumirães. Em Faro, passaram-se os momentos mais marcantes do meu percurso desportivo, e apesar de não termos ganho, foi memorável. Fomos VICE-CAMPEOES NACIONAIS!

Treinadores Galitos: Que mensagem gostarias de deixar aos teus colegas de equipa?
Folque: Gostava de lhes pedir para estarem concentrados e para fazerem o seu melhor na tentativa de ajudarem a nossa equipa. Nunca ninguém vos vai pedir mais do que aquilo que podem dar, portanto dêem tudo o que têm!



“Em geral os treinadores gostam muitos dos aspectos tácticos. A táctica sem técnica individual não interessa. Á que aprender a desfrutar dos pormenores da técnica individual durantes os jogos.”

AITO GARCÍA RENESES

Galitos 76 Ovarense 79

"O Galitos perde em Ovar num jogo muito equilibrado e com sucessivas alternâncias no marcador.
Uma má entrada no jogo permitiu à Ovarense um parcial de 10-0, nos 3 minutos iniciais. Depois da paragem no jogo e de algumas rectificações o jogo passou a ser equilibrado apesar de chegarmos ao final do 1º período a perder por 24-14.
O 2º período foi de domínio completo por parte do Galitos com um parcial de 24-11.
Na 2ª parte parte, as alternâncias no marcador foram uma constante. Nenhuma equipa conseguiu disparar no marcador.
A meio do 4º período ainda conseguimos uma vantagem de 7 pontos mas uma ponta final da Ovarense com grande eficácia em termos de aproveitamento e de eficácia possibilitou a passagem para a frente do marcador.
Pelo forma como a equipa reagiu ao mau início do jogo e pelo maior domínio durante o encontro esta derrota acaba por ter alguma injustiça no resultado.
Parabéns ao adversário pela sua reacção final.
Este resultado, apesar de negativo, deixa boas perspectivas para o futuro."
Pedro Cura

1º Período 14-24; 2º Período 24-11; 3º Período 23-24 e 4º Período 15-20

Pelo Galitos alinharam: Pedro Pereira (11), Nuno Gonçalves (13), Pedro Gaioso (24), Hugo Carvalho (8), Luís Oliveira (15), Carlos Resende (5), Élio Maia e Ricardo Leite.

3.ª JORNADA DE SUB 10 – 3X3NASCIDOS EM 1998, 1999 (2000)
LOCAL: PAVILHÃO DO CLUBE DOS GALITOS
DIA: 18 DE NOVEMBRO (DOMINGO – TARDE)
HORA DA CONCENTRAÇÃO: 14.30 HORAS
INÍCIO DOS JOGOS: 15.00 HORAS

Treinadores Galitos: Desde que idade jogas basquetebol?
Élio: Entrei para o basquete com 14 anos

Treinadores Galitos: Já praticaste outros desportos? Porque escolheste esta modalidade?
Élio: Estive muito pouco tempo no futebol, badminton e natação. Depois inscrevi-me no hóquei do Bonsucesso e fiquei lá uma série de meses. Eu entrei para o basquete porque um colega, o Eddy, mudou de escola e acabou por ficar na minha turma. Como na altura ele era bom jogador eu e alguns colegas decidimos experimentar a modalidade. Além disso, o basquete é o desporto colectivo que se joga num campo de menores dimensões e como não sou grande fã de Atletismo, juntei o útil ao agradável.

Treinadores Galitos: O que te trouxe para o Galitos?
Élio: Foram, como já referi, os incentivos dos meus colegas

Treinadores Galitos: Tentas seguir o exemplo de alguém na modalidade?
Élio: Gostava de me tornar uma promessa desde muito cedo como o João Soares, da Ovarense. A nível internacional admiro o Dwight Howard e o Lebron James. Dentro do Galitos, tento seguir o exemplo do Hugo Carvalho, que é meu colega de equipa nos Juniores A.

Treinadores Galitos: Como fazes para conciliar o basquetebol com os estudos?
Élio: Na maior parte das vezes, isso é fácil. Com dedicação e organização conseguimos ter um bom aproveitamento nos dois. No entanto, em escassas ocasiões, foi necessário faltar a um treino ou dois para estudar ou entregar um trabalho a tempo. Afinal, os estudos estão em primeiro lugar.

Treinadores Galitos: Quais os teus objectivos na modalidade?
Élio: Ganhar jogos e poder ao nosso mais alto nível.

Treinadores Galitos: O que esperas alcançar esta temporada, individual e colectivamente?
Élio: Quanto aos Juniores B, espero dar um grande contributo para a participação da equipa na Fase Final Distrital, mas isso exigirá muito trabalho e determinação. Além de nos colocar num dos 4 primeiros lugares do Campeonato, teremos, como recompensa pelo esforço, um leitão prometido por alguns pais. Se isso se verificar, estabeleceremos, depois, objectivos mais ambiciosos. Quanto aos Juniores A, vou continuar a trabalhar para poder, eventualmente, dar o meu contributo à equipa, conquistar o 1º lugar Distrital e chegar à Fase Nacional.

Treinadores Galitos: Qual o momento que mais te marcou, pela positiva e pela negativa, no teu percurso na modalidade?
Élio: Pela positiva, destaco a série vitoriosa que conseguimos alcançar enquanto Cadetes A (18 vitórias consecutivas). No nosso caminho estiveram equipas como a Sanjoanense e o Sangalhos e algumas equipas que participaram connosco no Inter-Associações. Marcaram-me, pela negativa, 2 acontecimentos: a saida do Jaime Verde para o Esgueira e a lesão que contraí, o ano passado, durante um treino, que me impossibilitou de jogar uma importante partida, contra a Ovarense (que se encontrava sem derrotas), partida essa que acabaríamos por perder por apenas 1 ponto de diferença.



“O clássico jogador que afirma que só se empenha nos jogos é um engano. Ao não aplicar-se nos treinos prejudica a preparação e facilita o aparecimento de lesões. O jogador que só se esforça nos jogos comete uma falta grave contra a ética do trabalho.”
PAT RILEY


No passado dia 11 de Novembro, o Clube dos Galitos recebeu a 2ª Jornada de Minibasquete nos escalões de Sub-8 e Sub-12 onde estiveram presentes 12 Clubes, que se fizeram representar por 22 equipas.
Durante a tarde predominou o fair play e o convívio entre atletas, pais e treinadores de todos os clubes.
Além dos jogos realizados pelas 22 equipas de sub 12 e sub 8, divididos por seis campos (2 exteriores e 4 interiores), as pessoas presentes contaram com uma tenda de pintura facial e escultura de balões, um insuflável, a possibilidade de efectuar um rastreio visual cedido pela Ergovisão e também a castanha assada (magusto).
Foi uma tarde repleta de animação, onde não só os atletas tiveram oportunidade de participar. Os pais e mães foram convidados a participar em algumas actividades tendo a Sra. Cristina Mª Valente (AD Ovarense) e a Sra. Elisabete Pinto (GD Gafanha) ganho uma massagem e o Sr. Altino Vicente (AD Ovarense) e o Sr. Ricardo Gil (Galitos) ganho um livre trânsito no health club, prémios estes cedidos pelo Hotel Meliá Ria.
O Clube dos Galitos contou também com o apoio da Câmara Municipal de Aveiro, Diário de Aveiro e da Sport Zone que deu vários brindes aos atletas e aos espectadores.



“Resposta ao erro: lutar ferozmente.”
DICK DE VENZIO

Treinadores Galitos: Quantos anos tens de prática de basquetebol?
Mini: Tenho 6 anos de prática.

Treinadores Galitos: Quais as razões que te fizeram escolher o Galitos?
Mini: Sinceramente, não sei. O meu pai perguntou-me se eu queria entrar no basquetebol e eu disse-lhe que sim e ele escolheu o Galitos. Acho que foi uma escolha acertada!

Treinadores Galitos: Consegues conciliar o basquetebol com os estudos?
Mini: Penso que sim. Consigo arranjar tempo para cada uma das coisas.

Treinadores Galitos: De toda a tua experiência no basquetebol, qual o momento mais marcante?
Mini: O ano passado. Vencemos o campeonato distrital e fomos vice-campeões nacionais de iniciados.

Treinadores Galitos: Quais os teus objectivos pessoais no basquetebol?
Mini: Neste momento, aprender o mais possível para mais tarde chegar a sénior e quem sabe ir para uma equipa de basquetebol profissional, com objectivo de ir muito mais longe.

Treinadores Galitos: Qual o exemplo que gostarias de seguir?
Mini: Michael Jordan e, dentro do clube, João Balseiro.

Treinadores Galitos: O que esperas conseguir esta temporada no Galitos?
Mini: Ser campeão distrital e atingir a fase final do nacional.
Treinadores Galitos: Uma mensagem para a tua equipa.
Mini: Trabalhar muito, para chegar muito longe.


Vagos 49 Galitos 89
“ O Galitos soma nova vitória em jogo bastante desequilibrado.
O Galitos entrou muito bem no jogo, com muita atitude e agressividade na defesa, e no final do 1.º período, vencíamos 35 – 3, fruto de situações de finalização simples que conseguimos construir, tendo nos períodos seguintes, o adversário reagido e colocando-nos diversos problemas, nomeadamente no ressalto defensivo, onde temos de melhorar. Apesar disso mantivemos o nosso jogo dinâmico e rápido, continuando a realizar contra-ataques bem finalizados, sempre assentes numa defesa com intensidade. Nem sempre estivemos concentrados nas nossas acções e também aí temos de melhorar, de forma a tomarmos melhores decisões no ataque, seleccionar melhor os lançamentos e diminuir o número de perdas de bola.”
Luís Araújo

Parciais: 1º Período 35 – 3; 2º Período 15 – 18; 3º Período 19 – 13 e 4º Período 20 – 15
Resultado Final: 89 – 49

Pelo Galitos alinharam: Seabra (6), Catarino (13), Luís (2), Tomás (34), Carvalho, Padilha (7), João Lemos, Alexandre (2), João Carlos (4), Santos (16), Bruno Fartura (5).

6ª Jornada:
Brandoense 54 Galitos 96

“Na última jornada da 1ª volta do campeonato regional de Juniores B, o Galitos regressou às vitórias, vencendo o Brandoense por 54-96.
Apesar de algum equilibro inicial, os galináceos ganharam algum ascendente terminando o 1º período com 11 pontos de vantagem. O Brandoense reagiu bem, conseguindo encurtar a distância no marcador, indo para o intervalo com apenas 6 pontos de desvantagem.
A 2ª parte foi completamente diferente. O Galitos imprimindo um forte ritmo ao jogo, fruto da rotação da sua equipa, melhorou bastante em termos defensivos e aumentou a sua agressividade ofensiva fazendo um parcial de 32-4 no 3º período. O jogo ficou aqui resolvido, mas a equipa do Galitos manteve a mesma atitude até final do jogo.
Mais um encontro em que, retirando pequenos momentos em que a equipa perdeu alguma concentração e intensidade de jogo, o Galitos demonstrou uma excelente atitude, fruto do trabalho e empenhamento dos jogadores ao longo das últimas semanas.”
João Cura

Parciais: 1º Período15-26; 2º Período 18-11; 3º Período 4-32 e 4º Período17-25
Marcha do Marcador: 15-26; 33-39; 37-71;54-96

Alinharam pelo Galitos: André Santos (12), Anisio Mané, Gonçalo Pacheco (6), Edward Moreira, Freddy Moreira (2), João Almeida, Alexandre Brandão (8), David Ferreira (16), Hugo Soares (12), Élio Maia (21) e João Afonso (19).

Galitos 73 Académico 68

"Jogo extremamente competitivo jogado a um ritmo elevado durante a 1ª parte altura em que o ataque venceu a defesa e onde cada equipa concretizou 7 lançamentos triplos.
Ao intervalo o marcador assinalava um empate a 42 pontos
Na 2ª parte triunfou a defesa e o ritmo de jogo baixou compreensivelmente.
Triunfo da nossa equipa por 5 pontos naquela que foi a 5ª vitória consecutiva.
Uma palavra para o ambiente de mutuo respeito entre todos os intervenientes no jogo.
Um abraço para o nosso amigo Rui Costa."
João Neto

Galitos- Hugo (1), Nuno (2), Rui Castro (2), Pedrão (2), Alex (28), Gaioso (17), Jaime (3), Luis Mendes , Luis Ferreira (8), Carlos (9)

Marcha do marcador: 24-24; 42-42; 64-60; 73-68



“Numa equipa de basquetebol que queira ganhar títulos, o mais importante deve ser o grupo. É dentro deste que pode sempre sair, em cada jogo, alguém melhor para decidir. Mas é o grupo que tem que dar a solidez, a qualidade e a garantia para que possas aspirar a ganhar algo.”
DUSKO IVANOVIC

Treinadores Galitos: Quantos anos tens de prática de basquetebol?
Catarino: Cerca de 7 anos.

Treinadores Galitos: Quais as razões que te fizeram escolher o Galitos?
Catarino: A proximidade do pavilhão à minha casa.

Treinadores Galitos: Consegues conciliar o basquetebol com os estudos?
Catarino: Sim, desde que haja organização.

Treinadores Galitos: De toda a tua experiência no basquetebol, qual o momento mais marcante?
Catarino: Ser vice campeão nacional de iniciados, na época transacta no Algarve

Treinadores Galitos: Quais os teus objectivos pessoais no basquetebol?
Catarino: Ser um bom jogador de equipa.

Treinadores Galitos: Qual o exemplo que gostarias de seguir?
Catarino: O exemplo de qualquer bom desportista.

Treinadores Galitos: O que esperas conseguir esta temporada no Galitos?
Catarino: Ser campeão distrital ou até nacional.

Treinadores Galitos: Uma mensagem para a tua equipa.
Catarino: Nunca desistam de formar uma boa equipa e de continuarem a trabalhar.


Já se encontra disponivel nos "links de interesse" o link ao site da Associação de Basquetebol de Aveiro.



"Só há uma maneira de acabar com o mal: é responder-lhe com o bem."
Tolstoi

Galitos 48 Ovarense 55

"Galitos perde a invencibilidade num jogo equilibrado e disputado até final. Uma entrada menos boa permitiu à Ovarense comandar o marcador desde o início do jogo. O Galitos acusou este início e nunca se encontrou, acusando o facto de ter que contrariar o ascendente do adversário. Na 2ª parte tudo fizemos para encurtar a diferença mas algum nervosismo aliado a más decisões no ataque condicionaram o nosso desempenho. Ainda conseguimos reduzir, para 3 pontos, perto do final mas foi insuficiente para por em causa a vitória da Ovarense. Nota positiva para a reacção, embora tardia, demonstrada no 4º período que deixa boas perspectivas para o futuro. Á que continuar a trabalhar como temos feito até aqui para retomarmoso nível de jogo já demonstrado e podermos concretizar os nossos objectivos."


Ricardo Brito
Marcha do marcador: 1º Periodo 13-11; 2º Periodo 9-16; 3º Periodo 11-16; 4º Periodo 15-12
Alinharam pelo Galitos: Fabio, Gustavo, André Ferreira (4), Mathew (8), Mota (2), Rui, Diogo Meireles (12), Lobo, Simão (10), Bruno (2), Folque (7), Vasco (4)



“É preciso ter iniciativa, agir, mesmo sabendo que às vezes não vamos acertar. Os erros servem para nos tornarmos melhores, desde que os saibamos aceitar da maneira mais acertada.”

JOHN WOODEN

Treinadores Galitos: Desde que idade jogas basquetebol?
João Romão: Iniciei a prática da modalidade com no Beira-Mar mas foi muito passageiro. O verdadeiro começar foi quando entrei para o clube dos Galitos com 10 anos.

Treinadores Galitos: Já praticaste outros desportos? Porque escolheste esta modalidade?
João Romão: Sim já pratiquei outros desportos mas o basquete tornou-se rapidamente no meu predilecto. Fui aconselhado por alguns amigos meus a experimentar o basquete, curiosamente, com quem ainda hoje jogo. Gostei, fiquei.

Treinadores Galitos: O que te trouxe para o Galitos?
João Romão: A vontade de ganhar.

Treinadores Galitos: Tentas seguir o exemplo de alguém na modalidade?
João Romão: Não. Apenas trabalho para ser melhor. Não foco a minha atenção em ninguém em especial, mas claro que reconheço o talento de vários jogadores nacionais e internacionais.

Treinadores Galitos: Como fazes para conciliar o basquetebol com os estudos?
João Romão: É simples, primeiro estão os estudos e só depois o desporto. Se fôr necessário faltar aos treinos para estudar faço-o.

Treinadores Galitos: Quais os teus objectivos na modalidade?
João Romão: Ganhar. Divertir-me. Ser reconhecido.

Treinadores Galitos: O que esperas alcançar esta temporada, individual e colectivamente?
João Romão: Colectivamente a equipa dos Juniores B tem como objectivo participar na fase final distrital. Temos noção de que não se trata de um objectivo fácil mas também sabemos que não é impossivel. Depois, consoante a concretização ou não do nosso objectivo, defeniremos outros mais difíceis.
Individualmente quero trabalhar para poder ajudar a minha equipa a atingir o que se propôs.

Treinadores Galitos: Qual o momento que mais te marcou, pela positiva e pela negativa, no teu percurso na modalidade?
João Romão: A participação na fase final nacional de iniciados. Sei que não fui uma grande ajuda para a equipa mas senti muito, fiquei contente por ter jogado numa competição tão importante. Pela negativa não me recordo de nenhum.


“Á que tirar a pressão dos jogadores, pois não são máquinas nem podem fazer tudo bem”

ZELJKO OBRADOVIC

Parabéns ao atletas Junior A Fábio Freire pelos seus 18 anos.
Muitas felicidades...

;;
Galitos Basquetebol - Original Posting Rounders 3 Column | Design: Douglas Bowman | Modification: Ricardo Brito/João Cura